quinta-feira, dezembro 18, 2008

Papel do professor assenta na didáctica

Mónica Vieira, Maria Regina Rocha e Maria Helena Damião


Maria Regina Rocha foi a convidada da quinta sessão do ciclo “O Dever de Educar”, desta feita subordinada ao tema “O dever de educar para o professor”.

Segundo a professora, nos programas, nos textos curriculares, existem muitos parágrafos sobre as concepções subjacentes à perspectiva de que a criança, na escola, está essencialmente para ser socializada, mas não existe a palavra ensinar.

No entanto, referiu, “se não existir o professor, o jovem não tem a possibilidade de adquirir o conhecimento que lhe permitirá vir a ser um indivíduo com saberes que lhe permitam ser um agente de intervenção social ou um indivíduo útil à sociedade. É o conhecimento que faz a marca da diferença de indivíduo para indivíduo. O conhecimento é a base para todo e qualquer tipo de intervenção útil que as pessoas tenham. Sem conhecimento não há progresso”. Efectivamente, o conhecimento foi transmitido ao longo dos séculos porque foi ensinado.

Para Maria Regina Rocha, o papel do professor assenta essencialmente na didáctica. “O professor é a pessoa que tem a capacidade de pegar no conhecimento e de o organizar de forma a que o aluno vá, a pouco e pouco, adquirindo e formando a sua própria personalidade. O professor tem a responsabilidade do ensino formal, tem a responsabilidade de, na sua disciplina, saber qual é a forma pela qual o aluno aprende melhor aquele saber”.

Maria Regina Rocha é professora de Português do Ensino Secundário, estudiosa e divulgadora da Língua Portuguesa, investigadora da sua didáctica e autora de manuais escolares. O seu pensamento, apurado em mais três décadas de ensino, tem ajudado a perceber os desígnios da educação escolar.



Sem comentários: