segunda-feira, dezembro 05, 2016

«RETÓRICA, ARGUMENTAÇÃO E FILOSOFIA- ESTUDOS SISTEMÁTICOS E HISTÓRICO-FILOSÓFICOS» DE HENRIQUE JALES RIBEIRO [APRESENTAÇÃO DIA 15 DE DEZEMBRO, 18H00] FLUC


CONVITE

A Diretora do Departamento de Filosofia, Comunicação e Informação 
da Faculdadede Letras da Universidade de Coimbra, 
o Autor e as Edições MinervaCoimbra
têm o gosto de convidar V. Exc.a para o lançamento do livro

RETÓRICA, ARGUMENTAÇÃO E FILOSOFIA
ESTUDOS SISTEMÁTICOS E HISTÓRICO-FILOSÓFICOS
da autoria de Henrique Jales Ribeiro.

A sessão realiza-se no próximo dia 15 de dezembro, pelas 18 horas,
na sala Victor de Matos - 6º piso da FLUC.

***





 «RETÓRICA, ARGUMENTAÇÃO E FILOSOFIA- Estudos Sistemáticos e Histórico-Filosóficos» de Henrique Jales Ribeiro. 

Este livro contém um conjunto de ensaios sistemáticos e histórico- -filosóficos sobre o lugar que a filosofia poderá ter, hoje em dia, no âmbito multi- e interdisciplinar da teoria da retórica e da argumentação. A problemática de que se ocupa – não obstante essa teoria seja tão velha, no Ocidente, quanto a própria filosofia – é relativamente recente: as suas fontes remontam aos anos cinquenta do século vinte, com Stephen Toulmin e Chaïm Perelman; e a receção das mesmas pelas diferentes escolas – contemporâneas – dessa teoria tem apenas duas a três décadas de duração. Algumas da matérias estudadas só episódica ou ocasionalmente são abordadas por publicações em português; outras nem sequer são objeto de investigações publicamente conhecidas em qualquer língua. – O livro é destinado principalmente a filósofos ou a amadores da filosofia, mas não só; o seu público, na intenção do autor pelo menos, são todos os estudiosos da referida problemática, provenientes das mais diversas áreas disciplinares: a filosofia, é claro, mas também a linguística, a teoria da literatura, a teoria da comunicação, a sociologia, ou a teoria do direito, por exemplo.



Henrique Jales Ribeiro é doutor em Filosofia (1999) e Professor Associado, com agregação, da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, onde é investigador e rege várias unidades curriculares do 1º e 2º ciclos. Os seus primeiros trabalhos académicos são sobre filosofia em Portugal. Na perspetiva da internacionalização dos estudos sobre essa área, publicou recentemente a obra Estudos sobre a filosofia na Europa e em Portugal (2 vol.s, 2013 e 2015, MinervaCoimbra). Mas a generalidade das suas numerosas publicações, em português e inglês, enquadra-se nas áreas da lógica e da teoria da retórica e da argumentação. Cumpre destacar as edições de Rhetoric and Argumentation in the Beginning of the XXIst Century (Imprensa da Universidade de Coimbra, 2009); Inside Arguments: Logic and the Study of Argumentation (Cambridge Scholars Publishing, 2012); Aristotle and Argumentation Theory (Argumentation: An International Journal on Reasoning, Springer, 27, 2013); 
e Systematic Approaches to Argument by Analogy (Springer, 2014).
www.minervacoimbra.pt  minervacoimbra@gmail.com
Edições MinervaCoimbra | Facebook

quarta-feira, novembro 30, 2016

SUGESTÃO DE LEITURA «HISTÓRIA E IDEOLOGIA» DE LUÍS REIS TORGAL





Sugestão de leitura
«História e Ideologia» de Luís Reis Torgal.

A história da história constitui uma das temáticas mais fecundas, sobretudo se não se entender “história” em sentido estrito, mas se se considerar também como ensino da história e da “memória”. 

Luís Reis Torgal dedica-se à História Contemporânea, sobretudo ao Estado Novo de Salazar, sobre o que escreveu o livro "A Universidade e o Estado Novo, Ed. MinervaCoimbra, 1999. É Director da Colecção Minerva História (Ed. MinervaCoimbra). Membro do Senado da Universidade de Coimbra durante mais de 10 anos e candidato a Reitor nas eleições de 1998, tem investigado e feito algumas intervenções sobre a Universidade e o ensino em geral, em conferências, comunicações em colóquios, revistas e jornais. Pertence também ao conselho Científico de várias publicações, entre elas da Revista de Historia de las Universidades, da Universidad Carlos III (Madrid ). Publicou, em Portugal e no estrangeiro, vários textos sobre o ensino, em especial sobre o ensino superior, e a Universidade em particular, sendo, por exemplo, co-autor do livro quadrilingue de divulgação intitulado Universidade de Coimbra, autor do capítulo “Edad Contemporánea: hacia la(s) universidade(s) del siglo XXI”, publicado na Historia de la Universidad de Salamanca (2006), de ensaios para debate como "A Universidade e as «condições» da Imaginação" (Cadernos do CEIS20, 2008), do capítulo “University, Society and Politics”, da obra coordenada por Guy Neave e Alberto Amaral Higher Education in Portugal. 1974-2009.
A nation, a generation, publicada (CIPES, 2009), e com Angelo Brigato Ésther, Que Universidade? (2014). Elaborou 1986, a pedido do reitor Rui Alarcão, um estudo sobre a reorganização da Imprensa da Universidade, que foi recriada em 1998, pelo reitor Fernando Rebelo. Com uma vastíssima produção literária e científica é também director da colecção Minerva História [Edições MinervaCoimbra].
www.minervacoimbra.pt // minervacoimbra@gmail.com
Edições MinervaCoimbra | Facebook
https://pt-pt.facebook.com/minervacoimbraed/

PARCERIA NÚCLEO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS E EDIÇÕES MINERVACOIMBRA



É com grande orgulho que o Núcleo de Relações Internacionais anuncia mais uma parceira do Public Speaking Winter School: as Edições MinervaCoimbra!
Com um rico acervo que vai da filosofia à história, da ficção à poesia, as Edições MinervaCoimbra têm projeção no meio acadêmico nacional e internacional, liderando as publicações na área da comunicação em Portugal. Para mais informações, acesse o site http://www.minervacoimbra.pt/.
Não perca tempo! As inscrições para o curso seguem abertas no link https://goo.gl/forms/MW0Jh4qj5ubj1Utp1.

Public Speaking Winter School - 5 a 7 de Dezembro - FEUC (Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra)
                            FEUC - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra

sexta-feira, novembro 25, 2016

SUGESTÃO DE LEITURA: «PHARMACOPEA LUSITANA - METHODO PRATICO DE PREPARAR & COMPOR OS MEDICAMENTOS» POR D. CAIETANO DA SANTO ANTÓNIO [EDIÇÃO FAC-SIMILADA DA 1ª ED., 1704] ORGANIZAÇÃO E NOTA INTRODUTÓRIA DE JOÃO RUI PITA




Sugestão de leitura
«Pharmacopea Lusitana - Methodo Pratico de preparar & compor os medicamentos na forma Galenica» edição fac-similada da obra de D. Caetano de Santo António

Organização e nota introdutória de João Rui Pita (Professor da Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra e Investigador do Grupo de História e Sociologia da Ciência do CEIS20 da mesma Universidade). 

A edição fac-similada da obra de D. Caetano de Santo António, "Pharmacopea Lusitana" (1.ª edição, 1704), é um trabalho do maior interesse para a história da farmácia portuguesa e, em geral, para a história das ciências da saúde em Portugal. Trata-se da primeira farmacopeia escrita em Portugal, por um boticário e na nossa língua. É por isso considerada a primeira farmacopeia portuguesa.

www.minnervacoimbra.pt  // minervacoimbra@gmail.com

sexta-feira, novembro 04, 2016

SUGESTÃO DE LEITURA « HISTÓRIA CRÍTICA DO SÉCULO XX» COM PREFÁCIO DE RENÉ RÉMOND





Sugestão de leitura 
«História Crítica do Século XX» com prefácio de René Rémond

Comissão científica: Sélim Abou, Alexandre Adler, Denise Artaud, Élie Barnavi, Michel Barnier, Emmanuel Chadeau, Pierre Daix, Jean-Luc Domenach, Bernard Gazier, Jérome Hélie, Alain Labrousse, Dominique Lecourt, Pierre Papon, Alain Renaut, Philippe Rochot, Jean-Cristophe Rufin e Charles Zorgbibe.

Tradução de Ana Filomena Amaral; 
Revisão científica de Rui  Cascão.  

Redigido com a colaboração de uma vintena de especialistas, a História Crítica do Século XX, associa aos dados de base, uma cartografia original onde aparecem contradições e continuidade e uma rica e comentada iconografia. Perto do ano 2000, foi possível fazer o balanço de uma centena de anos de história. A queda repentina do comunismo e de construções políticas que faziam parte integrante do mundo, permitiram proceder, sob um outro ângulo, a uma representação geral do século. Até agora os aspectos ideológicos mascararam quase sempre os verdadeiros problemas. Este trabalho teve como ambição esboçar um balanço crítico do século XX.

www.minervacoimbra.pt  minervacoimbra@gmail.com
Edições MinervaCoimbra | Facebook

terça-feira, novembro 01, 2016

«CAMPOS DE MIRANDA» DE EDGARD PANÃO [APRESENTAÇÃO AUDITÓRIO MUNICIPAL DE MIRANDA DO CORVO]




«Campos de Miranda», de autoria de Edgard Panão, com prefácio de João Aurélio Sansão Coelho, e capa de  de Torsten Steinbach, foi apresentado no Auditório da Câmara Municipal de Miranda do Corvo. 



Presidiu à sessão o Presidente da Câmara Doutor Miguel Bapista. Para além do autor, Dr. Edgard Panão, estiveram presentes e usaram da palavra, o Presidente da Assembleia Municipal, Dr. João Mourato, a editora, Dra Isabel Garcia, e o professor do ensino superior e jornalista, Dr. Sansão Coelho que apresentou a obra referindo que:

"Numa sucessão de poemas de diferentes métricas o Dr. Edgard Panão desnuda-se de corpo e alma e justifica atos anteriores (em especial os da Juventude) como um quase legado histórico que muitos leitores em geral, e os mirandenses em especial, vão entender, e ler com afeto, de forma referencial ou nos subentendidos versejados. (...) Nesta sua narrativa poética, quase autobiográfica, memoralista e moralista (pela profusão de formulações éticas e morais) o Dr. Edgard Panão revela, porventura, aspetos de um quotidiano bem vivido e nem sempre bem entendido que só a longevidade autoriza a divulgar nuns casos; noutros há referências explícitas ou municiadas de contextos 
(...)"



Para o autor  "Este livro é dedicado a todos os Mirandenses, sem excepção. Nele se evocam aspectos da vida comunitária local dos anos 1940/1950, como por exemplo: Alcunhas (85) de famílias daquele tempo; Procissão bianual do Senhor dos Passos;
Anjinhos( mortalidade infantil) e a Escola; Lagares de azeite e as velhas almotolias; Trabalhos precários de enxada; Namoros perigosos e frutos escondidos; Batizados, Catequese; Filhos de Miranda e seus trilhos; Pharmácia Cunha; Beber uns copos nas tabernas( Fikaketo, Cordeiro,Caracol, etc..); Café do Caro amigo (mais tarde, Café Marreco); Comboio de Miranda, viagens inesquecíveis; Vacinas na ANT( Assistência Nacional aos Tuberculosos); Quartas-feiras na Praça, na Feira da Sardinha e na Feira dos Bois; Topónimo Buraco, onde nasceu a Vila após a saída do Al Andaluz do qual resta a lenda da Moira encantada,a Princesa castelã, do escudo da vila Caminhito (da Vila até… algures); Engenho do linho do “engº” Armando Cosme: os tormentos do linho. Figueira da Foz, a Praia da Claridade e muitos outros assuntos a lembrar aqueles tempos( bons e menos bons) vividos pelas pessoas 
(...)."



Edgard Panão para além de professor de Filosofia e História em vários liceus do país, foi director e professor da Escola do Magistério Primário de Aveiro, director e professor da Escola do Magistério Primário de Silva Porto (actual Kuito) Angola e ainda responsável pelos Serviços de Educação em Dili. Foi também vereador e presidente da Câmara Municipal de Estarreja. Desde 1993, altura em que se reformou, que se dedica à investigação de índole histórica e a publicar alguns trabalhos, dos quais se destacam:
«O Moleiro Inteligente» (2000), 
«A reconstituição das famílias da freguesia de Salvador da vila de Miranda do Corvo» (2002), 
«Covseiro de Myranda» (2006), 
«Cartas a Ana de Leonardo» (2007),
«Os Trautos de Miranda» (2008), 
«Comentário - O outro lado da coisa» (2009),
«Os convencidos da Vida» (2010), 
«O Tombo da República-Ensaio sobre o período inicial do novo regime político (1910-1926)»(2011),
«Cancioneiro Popular de Miranda do Corvo»de Belisário Pimenta (2012)
« O Bulário da Casa Grande» 2013,
«Campos de Sombra» 2014,
«Campos de Arruda», 2015.
«Campos de Miranda», 2016.
Os onze últimos livros com a chancela das Edições MinervaCoimbra.


 www.minervacoimbra.pt  // minervacoimbra@gmail.com
Edições MinervaCoimbra | Facebook

segunda-feira, outubro 31, 2016

SUGESTÃO DE LEITURA «ADVOCACIA QUE FAZER?» COORDENAÇÃO DE ALFREDO JOSÉ CASTANHEIRA NEVES


Foto de Edições MinervaCoimbra.


Sugestão de leitura 
ADVOCACIA QUE FAZER? Coordenação de Alfredo José Castanheira Neves.


Este livro é composto por uma introdução escrita pelo coordenador da obra – o advogado Alfredo José Castanheira Neves – e por 45 depoimentos sobre o estado e o futuro da advocacia numa perspectiva de sistema de justiça, depoimentos esses escritos por destacadas personalidades do mundo jurídico e da advocacia, que abordam a temática numa perspectiva não “corporativa”.
Advocacia - Que Fazer? é uma obra colectiva que representa por si um desafio às estruturas do poder judiciário.

«Com os Advogados e pela advocacia» poderia ser o tema desta obra, com a certeza de que é ao advogado que cabem as actuações mais importantes no recebimento, diagnóstico, composição e resolução dos conflitos surgidos no seio da comunidade, com referência à honra, à liberdade, ao património, enfim e em suma, aos direitos dos cidadãos constitucionalmente consagrados.
MinervaCoimbra, 2001. minervacoimbra@gmail.com 

segunda-feira, outubro 24, 2016

«CAMPOS DE MIRANDA» DE EDGARD PANÃO. APRESENTAÇÃO EM MIRANDA DO CORVO, AUDITÓRIO DA CÂMARA MUNICIPAL [29 DE OUTUBRO DE 2016, PELAS 16H00]



CONVITE
      O Presidente da Câmara Municipal de Miranda do Corvo, 
Miguel Baptista, as Edições MinervaCoimbra e o Autor 
têm a honra de convidar V. Exa.
para a apresentação do livro

CAMPOS DE MIRANDA
de Edgard Panão.

A apresentação será feita por Sansão Coelho
(jornalista e professor do ensino superior)
e a sessão realiza-se no próximo sábado, dia 29 de Outubro, 
pelas 16h00, no Auditório da Câmara Municipal 
de Miranda do Corvo.

***
Capa de autoria de Torsten Steinbach

Nota do Autor: 
Este livro é dedicado a todos os Mirandenses, sem excepção. Nele se evocam aspectos da vida comunitária local dos anos 1940/1950, como por exemplo: Alcunhas (85) de famílias daquele tempo; Procissão bianual do Senhor dos Passos; Anjinhos( mortalidade infantil) e a Escola; Lagares de azeite e as velhas almotolias; Trabalhos precários de enxada; Namoros perigosos e frutos escondidos; Batizados, Catequese; Filhos de Miranda e seus trilhos; Pharmácia Cunha; Beber uns copos nas tabernas( Fikaketo, Cordeiro,Caracol, etc..); Café do Caro amigo (mais tarde, Café Marreco); Comboio de Miranda, viagens inesquecíveis; Vacinas na ANT( Assistência Nacional aos Tuberculosos); Quartas-feiras na Praça, na Feira da Sardinha e na Feira dos Bois; Topónimo Buraco, onde nasceu a Vila após a saída do Al Andaluz do qual resta a lenda da Moira encantada,a Princesa castelã, do escudo da vila Caminhito (da Vila até… algures); Engenho do linho do “engº” Armando Cosme: os tormentos do linho. Figueira da Foz, a Praia da Claridade e muitos outros assuntos a lembrar aqueles tempos( bons e menos bons) vividos pelas pessoas, etc, etc.




Edgard Panão para além de professor de Filosofia e História em vários liceus do país, foi director e professor da Escola do Magistério Primário de Aveiro, director e professor da Escola do Magistério Primário de Silva Porto (actual Kuito) Angola e ainda responsável pelos Serviços de Educação em Dili. Foi também vereador e presidente da Câmara Municipal de Estarreja. Desde 1993, altura em que se reformou, que se dedica à investigação de índole histórica e a publicar alguns trabalhos, dos quais se destacam:

▪ «A reconstituição das famílias da freguesia de Salvador da vila de Miranda 
   do Corvo» (2002), 
 «Covseiro de Myranda» (2006), 
▪ «Cartas a Ana de Leonardo» (2007),
▪ «Os Trautos de Miranda» (2008), 
▪ «Comentário - O outro lado da coisa» (2009),
▪ «Os convencidos da Vida» (2010), 
▪ «O Tombo da República-Ensaio sobre o período inicial do novo regime político (1910-1926)»(2011),
▪ «Cancioneiro Popular de Miranda do Corvo»de Belisário Pimenta (2012)
▪ « O Bulário da Casa Grande» 2013,
▪ «Campos de Sombra» 2014,
▪ «Campos de Arruda», 2015.
▪ «Campos de Miranda», 2016.

Os onze últimos livros com a chancela das Edições MinervaCoimbra.

quarta-feira, outubro 19, 2016

«UMA NOVA PRINCESINHA» DE ROSA DO CÉU AMORIM [APRESENTAÇÃO NA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE ALBERGARIA-A-VELHA]







Decorreu na Biblioteca Municipal de Albergaria-aVelha a apresentação do livro «Uma nova Princesinha» de Rosa do Céu. 
 Esta foi a primeira acção (cultural e solidária) do Rotary Club de Albergaria-a-Velha, em formação. 
O Presidente da Câmara de Albergaria-a-velha, Dr. João Loureiro, presidiu à acção. Na mesa estava igualmente o presidente da Assembleia Geral, Dr. Mário Branco, que encerrou a sessão, e ainda, João Oliveira, presidente do Rotary Club de Aveiro-clube padrinho- ,Carlos Goulart, presidente do Rotary Club de Albergaria-a-Velha (em formação), Deolinda Nunes - RC de S. João da Madeira-, presidente da Comissão Distrital de Expansão, a autora, Rosa do Céu Amorim (RC de Aveiro), a apresentadora, a psicóloga Mariana Parente (RC de Albergaria-a-Velha), e a editora, Isabel de Carvalho Garcia (RC de Coimbra).
No final contou-se ainda com a intervençao do past-governador João Barbosa e com Nicole Maia, ao piano. Apresentou a sessão Mónica Estima (RC de Albergaria-a-Velha). «Uma Nova Princesinha» uma edição com a chancela da MinervaCoimbra e com "A Serviços e Traduções - ROYAL SCHOOL OF LANGUAGES, como Parceiro Cultural". www.minervacoimbra.pt  
https://pt-pt.facebook.com/minervacoimbraed/minervacoimbra@gmail.com

sexta-feira, outubro 14, 2016

SUGESTÃO DE LEITURA «A HISTÓRIA EM DIRECTO-OS ACONTECIMENTOS MEDIÁTICOS NA TELEVISÃO» DE DANIEL DAYAN E ELIHU KATZ




Sugestão de Leitura
A HISTÓRIA EM DIRECTO - OS ACONTECIMENTOS MEDIÁTICOS NA TELEVISÃO
de Daniel Dayan e Elihu Katz. Nr 7 da Colecção Comunicação dirigida por Mário Mesquita. 

Os autores referem os grandes acontecimentos televisivos que atraíam as maiores audiências, como a coroação da Rainha Isabel II, a chegada do homem à lua, passando pelo funeral de Lady Di às visitas do Papa. A “história em directo” mostra que o papel da televisão, nas sociedadescontemporâneas, está longe de se limitar à função informativa.



Daniel Dayan, francês, nascido em 1943, é professor, investigador, tradutor. Membro do Instituto Mauss Marcel at Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales, e do Instituto Europeu Levinas. Dayan foi Director de Investigação em Sociologia, pelo Centre National de la Recherche Scientifique , professor de teoria dos media no Institut d 'Études Politiques, (Sciences-Po) Paris e Professor visitante na New escola for social Research , em Nova York. Daniel Dayan é formado em Antropologia, Literatura comparada, semiótica e estudos de cinema da Sorbonne, Universidade de Stanford e L'Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales, onde se doutorou em Estética sob a direção de Roland Barthes.



Elihu Katz, nasceu em 1926, em New York. Sociólogo americano que contribuiu significativamente para o estudo da comunicação de "massas". Katz frequentou a Universidade de Columbia, Nova York, onde estudou sociologia e fez um MBA (1948), mestrado (1950), e um Ph.D. (1956).
Katz voltou sua atenção para ajudar o governo de Israel. Autor de inúmeros relatórios sobre a televisão e os seus efeitos, sobre a vida de Israel todos os dias. Na década de 1970, trabalhou com a Universidade de Manchester, na Inglaterra, para ajudar a introduzir televisão aberta aos países em desenvolvimento. Durante sua carreira, Katz foi Professor da Escola Annenberg, da Universidade da Pensilvânia, professor emérito de sociologia e comunicação da Universidade Hebraica de Jerusalém, distinto professor visitante na University of Southern California, professor associado da Universidade de Chicago, professor visitante na Universidade de Columbia, e director científico do Instituto Guttman de Pesquisa social Aplicada em Israel. Foi agraciado com títulos honoris causa das Universidades de Ghent, Haifa, Montreal e Paris e recebeu muitos prémios internacionais.

www.minervacoimbra.pt
minervacoimbra@gmail.com 

Edições MinervaCoimbra | Facebook

sábado, outubro 08, 2016

«UMA NOVA PRINCESINHA» DE ROSA DO CÉU AMORIM APRESENTAÇÃO EM ALBERGARIA-A-VELHA, BIBLIOTECA MUNICIPAL [15 DE OUTUBRO, 16H30 ]





CONVITE

Apresentação do livro «Uma nova Princesinha» de Rosa do Céu

com ilustrações de Jeremias Bandarra.

A apresentação será feita pela psicóloga Mariana Parente,
e a sessão realiza-se na Biblioteca Municipal de Albergaria-a-Velha. 

Uma iniciativa do Rotary Club de Albergaria-a-Velha (em formação) 
que fará também a sua apresentação.
 
«Uma Nova Princesinha» uma edição com a chancela da MinervaCoimbra 

e com "A Serviços e Traduções - ROYAL SCHOOL OFLANGUAGES, 
como Parceiro Cultural".

www.minervacoimbra.pt
minervacoimbra@gmail.com 
Edições MinervaCoimbra | Facebook

quarta-feira, setembro 28, 2016

SUGESTÃO DE LEITURA « A DEONTOLOGIA DOS MEDIA» DE CLAUDE-JEAN BERTRAND




Sugestão de leitura
A DEONTOLOGIA DOS MEDIA
de  Claude-Jean Bertrand [1934-2007]. 
MinervaCoimbra, 2002,Colecção Comunicação dirigida por Mário Mesquita.   

«A Deontologia dos Media» é um livro que consegue - cometimento raro - ser simultâneamente pedagógico e polémico. Para o autor, professor que foi na Universidade de Paris II ( Instituto Francês de Imprensa), o bom funcionamento do sistema mediático pressupõe a conjugação de três factores: a lei, o mercado e a deontologia. "A proporção de cada um destes elementos na mistura é difícil de estabelecer: varia segundo a cultura local e os acidentes históricos. Ainda é raro - que os órgãos de comunicação se critiquem uns aos outros, tal como os jornalistas não o fazem. Nesta proporção, como noutras, leva-se às vezes a solidariedade até à cumplicidade".



O Autor propõe o conceito de M*A*R*S - meios para assegurar a responsabilidade social dos media - como um dos factores que podem contribuir par o "controlo de qualidade" na comunicação social. 

Claude-Jean Bertrand nasceu em Argel em 1934. Doutorado em letras ensinou, na área de estudos ingleses e americanos e ciências sociais, nas universidades de Etrasburgo e Paris X (Nanterre). Foi professor visitante as universidades de Syracusa (Nova Iorque), Dakar (Senegal), Annaba (Argélia) e Navarra (Espanha). Além disso desenvolveu investigações nas universidades de Minesotta e Stanford. Escreveu e organizou mais de duas dezenas de livros versando sobre diversos temas, desde a cultura, a sociedade e as religiões, e também na área das ciências da comunicação e dos media. Em portugal foi editado pela MinervaCoimbra com o título "Deontologia dos Media". Dedicou-se à investigação e divulgação de sistemas de responsabilização dos media. «Um defensor do papel sócio-cultural e político dos meios de comunicação. Claude-Jean Bertrand entendia que nem o Estado nem o Mercado poderiam assegurar, por si mesmos, a qualidade desses meios. “Os dois são indispensáveis, mas ambos são perigosos. E não podemos esperar que um neutralize o outro”, escreveu num dos seus livros. Onde vê ele,então, um caminho de solução? Nos sistemas de responsabilização dos media (MAS – de Media Accountability Systems), tais como os códigos de conduta, os provedores, a informação e crítica sobre os media, a investigação científica, os conselhos de Imprensa, a alfabetização mediática….


www.minervacoimbra.pt

minervacoimbra@gmail.com 

Edições MinervaCoimbra | Facebook

terça-feira, setembro 20, 2016

SOFIA FRANK NO CICLO "COIMBRA (T)EM POESIA. CASA DA ESCRITA EM COIMBRA [20 DE SETEMBRO, 18H15]







SOFIA FRANK   

O ciclo “Coimbra (t)em Poesia”, organizado pela Câmara Municipal de Coimbra, na Casa da Escrita, conta, na sua próxima edição, com a presença dos poetas Frederico Lourenço e Sofia Frank. 

A entrada é livre. Sofia Frank apresentou em Julho o seu mais recente livro de Poesia & CollAge, " Allure" [MinervaCoimbra].



Sofia Frank (Sofia Nobre), é Psicóloga Clínica e Investigadora em Pós-Doutoramento no Centro de Estudos da População, Economia e Sociedade – CEPESE/Universidade do Porto, integrando o Grupo de Investigação do Estudo das Elites Políticas e Económicas do Portugal Contemporâneo. É Doutorada em Psicologia – Resiliência, Trauma e Qualidade de Vida, pela Universidad de Extremadura, Badajoz (Espanha). É Pós-Graduada em Artes e Técnicas de Moda pela ESMOD International, Paris (França). Estudou ainda Matemática na FCTUC e Matemática aplicada à computação gráfica na Universidade de Aveiro.
Autora de vários artigos científicos, no âmbito da Psicologia, é ainda autora de «Fúria de Aforismos», 2004, e «Limiar da Luz Fio de Sol», 2012, igualmente publicados pela MinervaCoimbra. 

mail: minervacoimbra@gmail.com
www.minervacoimbra.pt        http://minervacoimbra.blogspot.pt 

www.facebook.com/minervacoimbraed/


sexta-feira, setembro 16, 2016

SUGESTÃO DE LEITURA «COSMOPOLITAS DE TODOS OS PAÍSES, MAIS UM ESFORÇO!» DE JACQUES DERRIDA. TRADUÇÃO DE FERNANDA BERNARDO





Sugestão de leitura: «COSMOPOLITAS DE TODOS OS PAÍSES, MAIS UM ESFORÇO!» de Jacques Derrida

Tradução de Fernanda Bernardo.

"Desde sempre a desconstrução derridiana salientou o registo político do filosófico: que há sempre uma política e uma política do político subjacente ao filosófico, disse-o e demonstrou-o sempre Derrida, confessando, ao mesmo tempo, a paixão democrática que alimentava e por que suspirava o seu pensamento. (…)" .



Fernanda Bernardo é professora de filosofia contemporânea na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra - de longa data filosoficamente posicionada na Desconstrução e trabalhando na intersecção da filosofia com a literatura, a poética, as artes do visível, a ética e a política. Para além de tradutora de Jacques Derrida, de Emmanuel Levinas, de Maurice Blanchot e de Jean-Luc Nancy, é também autora de vários escritos, em revistas e obras colectivas nacionais e internacionais, "sobre" estes autores, de que se lembrarão aqui apenas os títulos dos do ano em curso: "Jean-Luc Nancy - peut-être du côté de l’anastasis"; "Les Carnets de Captivité - par-delà la mort, une ouverture sur le visage de Levinas. Entretien avec Alain David"; "A assinatura ético-metafísica da experiência do cativeiro de Emmanuel Levinas. Uma nova orientação para a filosofia - uma outra incondição para o humano"; "L'athéisme messianique de Derrida. "Penser et Agir à Contretemps" ou La portée hyper-politique de la Déconstruction"; "Moradas da Promessa. Demorança & Sobre-Vivência: Aporias da fidelidade infiel. Em torno do pensamento e da obra de Jacques Derrida"; "Penser le monde - Faire l'impossible: penser (et) agir à contretemps (La question de l'action dans la trace de Kant et de Heidegger contresignée par Derrida)" e "A "loucura" do perdão - um "impossível" da desconstrução derridiana"; "E. Levinas - J. Derrida: pensamentos da alteridade ab-soluta".
Membro do Comité Científico de Filosofia do SSHRC - CRSH (Canadá/2012), Fernanda Bernardo foi também a Representante de Coimbra-Cidade refúgio (2003-2006) no Réseau International des Villes Refuge afecto ao Parlement International des Écrivains (Strasbourg).



mail: minervacoimbra@gmail.com
www.minervacoimbra.pt        http://minervacoimbra.blogspot.pt 

www.facebook.com/minervacoimbraed/

segunda-feira, setembro 05, 2016

SUGESTÃO DE LEITURA: «A PAZ DA FÉ» POR NICOLAU DE CUSA. TRADUÇÃO E INTRODUÇÃO DE JOÃO MARIA ANDRÉ




Sugestão de leitura: «A Paz da Fé» por Nicolau de Cusa. 

Tradução e Introdução de João Maria André. A "Paz da Fé seguida de Carta a João de Segóvia" foi escrita em 1453 por Nicolau de Cusa que foi Bispo e Cardeal da Igreja de Roma. Um hino ao diálogo, a paz e à concórdia dos povos, culturas e religiões: contra a violência das armas, a força do diálogo. Atento à complexidade religiosa e cultural do tempo em que viveu e sensível às lutas entre diversas confissões religiosas e às perseguições resultantes da queda de Constantinopla, escreveu em 1453, o "De pace fidei", um hino ao diálogo entre os homens e um apelo à concórdia entre as religiões. 

João Maria André, que traduziu o original, é Professor Catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, tendo-se doutorado em Filosofia pela mesma Faculdade com uma dissertação sobre Nicolau de Cusa. www.minervacoimbra.pt   
http://minervacoimbra.blogspot.pt/…/a-paz-da-fe-de-nicolau-… 
mail: minervacoimbra@gmail.com

www.facebook.com/minervacoimbraed/