terça-feira, abril 19, 2016

OS DIREITOS DA CRIANÇA ABORDADOS PELA CPCJ DE COIMBRA E PELO INSTITUTO DE APOIO À CRIANÇA [ LIVRO "O CARAMELO DA LEONOR" DE DANIELA SANTIAGO



Coimbra. Os direitos da criança abordados pela CPCJ (in Diário AS Beiras):
«A Comissão de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Coimbra dinamiza hoje uma atividade no âmbito da Programação de atividades do Coimbra. Os direitos da criança abordados pela CPCJ (in Diário AS Beiras). «A Comissão de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Coimbra dinamiza hoje uma atividade no âmbito da Programação de atividades do Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância e Juventude. Durante a manhã, a CPCJ e o Instituto de Apoio à Criança irão abordar "Os Direitos da Criança" através do livro "O Caramelo da Leonor", de Daniela Santiago. A atividade destina-se a crianças do pré-escolar em Coimbra.»


«O Caramelo da Leonor» de Daniela Santiago [jornalista que recentemente venceu a categoria de Melhor Pivot Feminina – Canal de Notícias (RTP3), pelo seu excelente trabalho e profissionalismo]. Este livro foi o primeiro a ser impresso em tinta e em braille.. Durante a manhã, a CPCJ e o Instituto de Apoio à Criança irão abordar "Os Direitos da Criança" através do livro "O Caramelo da Leonor", de Daniela Santiago. A atividade destina-se a crianças do pré-escolar em Coimbra.»
«O Caramelo da Leonor» publicado pela MinervaCoimbra é de autoria de Daniela Santiago [jornalista que recentemente venceu a categoria de Melhor Pivot Feminina – Canal de Notícias (RTP3), pelo seu excelente trabalho e profissionalismo]. Este livro foi o primeiro a ser impresso em tinta e em braille.







quinta-feira, abril 07, 2016

DIA MUNDIAL DA SAÚDE [ACONSELHAMOS O LIVRO] «PÉ DIABÉTICO - RECOMENDAÇÕES PARA O DIAGNÓSTICO, PROFILAXIA E TRATAMENTO» UMA EDIÇÃO DA SOCIEDADE PORTUGUESA DE CIRURGIA




No âmbito do DIA MUNDIAL DA SAÚDE aconselhamos o livro «PÉ DIABÉTICO - Recomendações para o diagnóstico, profilaxia e tratamento». Estas recomendações sobre Pé Diabético destinam-se a todos – aos próprios doentes diabéticos, médicos, enfermeiros, podologistas, fisioterapeutas – que lidam no seu dia a dia profissional com este flagelo social. São recomendações objectivas, de carácter essencialmente prático, respostas a perguntas muitas vezes feitas, mas assentes em algumas páginas de natureza teórica sobre a diabetes e a fisiopatologia desta sua complicação. Num pequeno texto pretende-se dar uma visão global, concisa mas eficaz, do problema tal como ele é visto pelos autores no momento actual.

AUTORES: Carlos Costa Almeida, Cirurgião geral e vascular (CHUC); Álvaro Pratas Balhau, Cirurgião geral e vascular (Hospital de Santa Maria Maior, Barcelos); Carlos Pereira Alves, Cirurgião geral e vascular (Hospital dos Capuchos, Lisboa); José Neves, Cirurgião geral e vascular (Hospital dos Capuchos, Lisboa); Mateus Amado Mendes, Cirurgião geral (Hospital de Santo André, Leiria); Luís Filipe Pinheiro, Cirurgião geral (Hospital de S. Teotónio, Viseu); Aida Paulino, Cirurgiã geral (Hospital Amato Lusitano, Castelo Branco).


Uma edição da Sociedade Portuguesa de Cirurgia.

COIMBRA E O MUNDO - PERSPECTIVAS EM DEBATE [CICLO DE TERTÚLIAS ] 07 DE ABRIL DE 2016, 21H00, ENTRADA LIVRE [RECORDATÓRIO DA RAINHA SANTA ISABEL EM COIMBRA]





COIMBRA E O MUNDO - PERSPECTIVAS EM DEBATE

convite

7 de Abril,  21h00, no Recordatório da Rainha Santa Isabel, 
entrada livre


"Coimbra e o Mundo - perspectivas em Debate" é o título genérico de um ciclo de tertúlias que se inicia na 5.ª feira, nesta cidade. 
Sendo Coimbra uma das marcas portuguesas mais conhecida e prestigiada em todo o mundo, um núcleo de pessoas apaixonadas por Coimbra e a sua Região, convida os cidadãos em geral a estarem presentes neste evento onde a apresentação de perspectivas, baseadas na experiência, pelos oradores convidados, seguida de debate pela assistência, constituirá o fio condutor.

Com Isabel de Carvalho Garcia, Helder Rodriges (moderador), Américo Santos, Arnaldo Baptista, Braga da Cruz e Francisco Andrade e José Simão (que presidirá à sessão como anfitrião).

Leitura de poemas por Pitty Tavarela.

A organização pretende a participação activa e animada - em jeito de tertúlia- de todos aqueles que querem uma Coimbra melhor e estão dispostos a colaborar como parte da solução.
As tertúlias que se seguirão e que terão uma periodicidade mensal serão realizadas em vários locais da cidade, que irão sendo anunciados, e intervenientes variados.

sexta-feira, abril 01, 2016

COIMBRA E O MUNDO - PERSPECTIVAS EM DEBATE [CICLO DE TERTÚLIAS] 07 DE ABRIL 2016, 21H00 [RECORDATÓRIO DA RAINHA SANTA ISABEL]



                                                                    CONVITE

CICLO DE TERTÚLIAS
Coimbra e o Mundo-Perspectivas em Debate

"Coimbra e o Mundo - perspectivas em Debate" é o título genérico de um ciclo de tertúlias que se inicia na 5.ª feira, 7 de Abril, pelas 21h00, no Recordatório da Rainha Santa Isabel, nesta cidade. 

Sendo Coimbra uma das marcas portuguesas mais conhecida e prestigiada em todo o mundo, um núcleo de pessoas apaixonadas por Coimbra e a sua Região, convida os cidadãos em geral a estarem presentes neste evento onde a apresentação de perspectivas, baseadas na experiência, pelos oradores convidados, seguida de debate pela assistência, constituirá o fio condutor.
Com Isabel de Carvalho Garcia, Américo Santos, Arnaldo Baptista, Braga da Cruz e Francisco Andrade, a primeira sessão será presidida por José Simão e moderada por Helder Rodrigues.
Com leitura de poemas por Pitty Tavarela, e à volta de uma bebida agradável, pretende-se a participação activa e animada-em jeito de tertúlia- de todos aqueles que querem uma Coimbra melhor e estão dispostos a colaborar como parte da solução.
As tertúlias que se seguirão e que terão uma periodicidade mensal e serão realizadas em vários locais da cidade que irão sendo anunciados.

Entrada aberta.

quinta-feira, março 24, 2016

«COMUNICAÇÃO NA ARTE - O ETERNO SOFISMA» APRESENTAÇÃO NA CASA DA ESCRITA EM COIMBRA [02 DE ABRIL, 15H30]



   Convite: COMUNICAÇÃO NA ARTE 
               - o eterno sofisma 
               de CHUVA VASCO

  Apresentação por Sónia Pina

  Casa da Escrita, Rua João Jacinto, 8 - 3000-225 Coimbra

Poderá uma obra de arte constituir-se como um acto de comunicação?
Este livro pretende apresentar a ideia de que a obra de arte não está obrigada a ser um meio de comunicação ou a comunicar alguma coisa. [...]
Este livro resulta da tese de doutoramento do Autor.

Nuno Miguel Chuva Vasco
É doutorado em Estudos de Arte, pelo Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro (2009), 
e licenciado em Pintura pela Escola Universitária das Artes de Coimbra (2002). Realiza actualmente Pós-doutoramento em Arte, Ciência e Tecnologia, no Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro.  É Professor Adjunto convidado na  Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Coimbra, e na Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto  Politécnico de Portalegre, onde lecciona em cursos das áreas do Design e das Artes.  Enquanto investigador integrado do Instituto de Investigação em Design Media e Cultura (ID+, Aveiro), e Investigador colaborador do Centro Interdisciplinar de Investigação e Inovação (C3i, Portalegre), tem apresentado várias comunicações em encontros científicos nacionais e internacionais, e publicado alguns artigos científicos em revistas, e livros de actas de congressos, centrando a sua linha de intervenção em áreas tão diversas como as artes plásticas, o cinema, e a comunicação.
É artista plástico, tem exposto individual e colectivamente, desde 1997, em Portugal e no estrangeiro 
(Brasil, Macau, Índia, Cabo Verde, Moçambique, Espanha, Paris), tendo ainda recebido alguns prémios e menções honrosas.

quarta-feira, março 23, 2016

«CAMPOS DE ARRUDA» DE EDGARD PANÃO [APRESENTAÇÃO EM COIMBRA ] 01 DE ABRIL, 18H00, CAFÉ SANTA CRUZ





Edgard Panão, é natural da freguesia de S. Miguel, concelho de Penela, distrito de coimbra.Para além de professor de Filosofia e História em vários liceus do país, foi director e professor da Escola do Magistério Primário de Aveiro, director e professor da Escola do Magistério Primário de Silva Porto (actual Kuito) Angola e ainda responsável pelos Serviços de Educação em Dili. 
Foi também vereador e presidente da Câmara Municipal de Estarreja. 

Desde 1993, altura em que se reformou, que se dedica à investigação de índole histórica e a publicar alguns trabalhos, dos quais se destacam Desde 1993, altura em que se reformou, que se dedica à investigação de índole histórica 
e a publicar alguns trabalhos, dos quais se destacam:

«O Moleiro Inteligente» (2000), 
«A reconstituição das famílias da freguesia de Salvador da vila de Miranda do Corvo» (2002), 
«Covseiro de Myranda» (2006), 
«Cartas a Ana de Leonardo» (2007),
«Os Trautos de Miranda» (2008), 
«Comentário - O outro lado da coisa» (2009),
«Os convencidos da Vida» (2010), 
«O Tombo da República-Ensaio sobre o período inicial do novo regime político (1910-1926)»(2011),
«Cancioneiro Popular de Miranda do Corvo»de Belisário Pimenta (2012)
« O Bulário da Casa Grande» 2013,
«Campos de Sombra» 2014,
«Campos de Arruda», 2015.

Os dez últimos livros com a chancela das Edições MinervaCoimbra.

terça-feira, março 22, 2016

«COLECTÂNEA DE POESIA. ESCRITAS AO ENTARDECER» DE MARIA LUCÍLIA MERCÊS DE MELLO [JÁ DISPONÍVEL]




"Vagueei, solitária, pela selva da minha escrita poética e, aqui e além, sentei-me à sombra densa e protectora de velhas e bem minhas conhecidas árvores, amigas silenciosamente eloquentes. Senti-me bem. Encontrei-me. E encontrei-me com tantos meus amigos já desaparecidos. (....).Maria Lucília Mercês de Mello In Epílogo.

MARIA LUCÍLIA MERCÊS DE MELLO
Natural de Lisboa. Tem a licenciatura de Medicina da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e o Curso de Ciências Pedagógicas da Faculdade de Letras da mesma Universidade.
Prestou serviço nos Hospitais Civis de Lisboa e fez a especialização em Psiquaitria no Hospital Júlio de Matos.
Vive em Coimbra desde 1962, ano em que ingressou no quadro do Hospital de Sobral Cid, onde veio a criar um Serviço de Recuperação de Alcoólicos que, mais tarde, veio a dar origem ao Centro Regional de Alcoologia de Coimbra.
No exercício da sua actividade profissional desempenhou vários cargos e funções relativos à Alcoologia, ciência então em desenvolvimento e implementação no país. É autora de mais de uma centena de trabalhos ligados à alcoologia e participou em reuniões e programas científicos dedicados à aocoologia, no país e no estrangeiro. É membro de Sociedades científicas nacionais e estrangeiras, sendo "sócia fundadora número um" da Sociedade Portuguesa de Alcoologia de cuja Revista foi primeiro director.
Frequenta, desde 1966, a disciplina de Literatura Portuguesa da Universidade do Tempo Livre da ANAI, em Coimbra.
No campo da poesia, embora tivesse iniciado cedo a sua escrita, esporadicamente publicada em semanário juvenil dos anos 1940-50, só após a aposentação, o seu primeiro livro de poemas intitulado "POEMAS EM DOIS TEMPOS" veio a público (Livraria Minerva Editora, Coimbra, 1998). Em 2001 publicou o segundo livro de poesia, "TEMPO DE BRUMA", na colecção Poesia Minerva (Edições MinervaCoimbra, 2001), em 2003, o terceiro, "SINTONIAS"(Edições MinervaCoimbra,2003) e em 2005, o quarto, "TRILOGIAS LÍRICAS", na mesma colecção (MinervaCoimbra, 2005), livro premiado no concurso de poesia "António Patrício" da Sociedade Portuguesa de Autores Médicos-2006.
Participou em quatro antologias: "COLECTÂNEA DE POESIA" (Pé de Página Editores, 2001), ANTOLOGIA DE POESIA IBÉRICA "VENTO - Sombra de Vozes" (Ed. Celya, Salamanca, 2004), "DEGRAUS", edição da LAHUC, Coimbra 2013 e "A PAZ DE UM LIVRO", edição do Rotary - Distrito 1970, 2015-16.

segunda-feira, março 21, 2016

«COMUNICAÇÃO NA ARTE - O ETERNO SOFISMA» DE CHUVA VASCO [APRESENTAÇÃO EM COIMBRA] 02 DE ABRIL.15H30 [CASA DA ESCRITA]



 

   CONVITE


 Apresentação do livro 

COMUNICAÇÃO NA ARTE -  o Eterno Sofisma 
de  autoria de CHUVA VASCO, 
por Sónia Pina.

Casa da Escrita, dia 02 de Abril de 2016, 15h30.
Rua João Jacinto, 8, em Coimbra.




O Livro
Poderá uma obra de arte constituir-se como um acto de comunicação?
Este livro pretende apresentar a ideia de que a obra de arte não está obrigada a ser um meio de comunicação ou a comunicar alguma coisa. Comunicação pressupõe uma circularidade entre dois elementos, emissor e receptor, mas também a focalização numa mensagem que se deseja compreensível a ambos. O criador e o fruidor, como humanos que são, têm uma dimensão variável. Não só o criador é diferente do fruidor, como também este é diferente de todos os seus semelhantes, e por conseguinte, é na directa correlatividade obra de arte – fruidor que se salienta uma incomunicação. Por um lado, a obra de arte é o repositório de determinados elementos que a caracterizam e definem; por outro, temos o fruidor que é o distinto promotor da polissemia que circunscreve o processo artístico, e que se traduz na significação atribuída à obra.

Com tantas diferenças decisivas entre os vários media utilizados hoje na arte, cada um com características materiais e estilísticas individualizadas, bem como com linguagens próprias, torna-se ainda mais necessário reflectir nas questões que a arte formula, consciente ou inconscientemente. Neste momento, em que a questão “isto é belo?” é substituída por outra ainda mais angustiante, “isto é arte?”; num momento em que o savoir-faire é questionado com grande força; numa época em que tudo o que diz respeito à ideia de arte deixou de ser evidente, tanto em si mesmo, como na sua relação com os diferentes públicos, assistimos também à problematização da sua função comunicativa.














O Autor
Nuno Miguel Chuva Vasco
É doutorado em Estudos de Arte, pelo Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro (2009), 
e licenciado em Pintura pela Escola Universitária das Artes de Coimbra (2002). Realiza actualmente Pós-doutoramento em Arte, Ciência e Tecnologia, no Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro.  É Professor Adjunto convidado na  Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Coimbra, e na Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto  Politécnico de Portalegre, onde lecciona em cursos das áreas do Design e das Artes.  Enquanto investigador integrado do Instituto de Investigação em Design Media e Cultura (ID+, Aveiro), e Investigador colaborador do Centro Interdisciplinar de Investigação e Inovação (C3i, Portalegre), tem apresentado várias comunicações em encontros científicos nacionais e internacionais, e publicado alguns artigos científicos em revistas, e livros de actas de congressos, centrando a sua linha de intervenção em áreas tão diversas como as artes plásticas, o cinema, e a comunicação.
É artista plástico, tem exposto individual e colectivamente, desde 1997, em Portugal e no estrangeiro 
(Brasil, Macau, Índia, Cabo Verde, Moçambique, Espanha, Paris), tendo ainda recebido alguns prémios e menções honrosas.

«CANCRO UMA NOVA OPORTUNIDADE DE VIDA» DE MARIA VÍTOR CAMPOS. UM "HINO À VIDA" [LANÇADO A 21 DE MARÇO DE 2010]




«CANCRO UMA NOVA OPORTUNIDADE DE VIDA» 
de Maria Vítor Campos

Este livro é um testemunho na primeira pessoa de três anos de uma corajosa batalha, por um lado contra uma doença cada vez mais comum nas jovens mulheres e por outro lado contra a indiferença da Sociedade para esta problemática. A autora escreveu este livro com o intuito de ajudar todas as mulheres e familiares que lutam contra esta doença, tendo inclusive as receitas deste livro objectivos solidários. Pretendeu também alertar as pessoas para o bem da vida e a valorização do agora.
É um “Hino à Vida” que o leitor ao ler passará sem dúvida a dar valor ao agora que faz a vida acontecer. 


A Autora

Maria Vítor de Barros Campos Donato
, nasceu a 14 de Fevereiro de 1971 em Coimbra. Foi nesta cidade que viveu toda a sua vida. Filha do médico e antigo jogador internacional de futebol da Académica, Vítor Campos e de Beatriz Campos, também médica. Licenciou-se em Medicina pela Universidade de Coimbra em 1995, com média final de 17 valores. Em Fevereiro de 2004 termina a especialidade em Endocrinologia com média final de 19.6 valores, exercendo depois actividade nos HUC.
Mãe de três filhos, foi-lhe detectado um cancro da mama aos 35 anos, tendo realizado durante os últimos três anos uma série de iniciativas que visaram sensibilizar as pessoas para o problema do cancro, sobretudo o cancro com incidência nos mais jovens.
Faleceu no dia 27 de Novembro de 2009.
O Lançamento
A família, fazendo jus à vontade da autora, fez a apresentação do livro. O evento de cariz cultural contou com a presença de personalidades da área do jornalismo, cultura, desporto e de outras áreas da sociedade e muitos, muitos amigos, colegas e admiradores da autora (cerca de mil pessoas).
A apresentação realizou-se no dia 21 de Março de 2010 na Quinta das Lágrimas em Coimbra.
http://minervacoimbra.blogspot.pt/…/convidamo-laopara-apres…

sexta-feira, março 18, 2016

EDGARD PANÃO E «CAMPOS DE ARRUDA». APRESENTAÇÃO EM COIMBRA. 01 DE ABRIL [CAFÉ SANTA CRUZ]




              CONVITE

                      As Edições MinervaCoimbra e o Autor
têm o gosto de convidar para a apresentação do livro

CAMPOS DE ARRUDA
de Edgard Panão.

A apresentação será feita por Victor Cepeda Mangerão, jurista,
e a sessão realiza-se no próximo dia 1 de Abril, pelas 18h00,
no Café Santa Cruz, Praça 8 de Maio, em Coimbra.

***


Edgard Panão, é natural da freguesia de S. Miguel, concelho de Penela, distrito de coimbra.Para além de professor de Filosofia e História em vários liceus do país, foi director e professor da Escola do Magistério Primário de Aveiro, director e professor da Escola do Magistério Primário de Silva Porto 
(actual Kuito) Angola e ainda responsável pelos Serviços de Educação em Dili. 
Foi também vereador e presidente da Câmara Municipal de Estarreja. 

Desde 1993, altura em que se reformou, que se dedica à investigação de índole histórica e a publicar alguns trabalhos, dos quais se destacam Desde 1993, altura em que se reformou, que se dedica à investigação de índole histórica 
e a publicar alguns trabalhos, dos quais se destacam:

«O Moleiro Inteligente» (2000), 
«A reconstituição das famílias da freguesia de Salvador da vila de Miranda do Corvo» (2002), 
«Covseiro de Myranda» (2006), 
«Cartas a Ana de Leonardo» (2007),
«Os Trautos de Miranda» (2008), 
«Comentário - O outro lado da coisa» (2009),
«Os convencidos da Vida» (2010), 
«O Tombo da República-Ensaio sobre o período inicial do novo regime político (1910-1926)»(2011),
«Cancioneiro Popular de Miranda do Corvo»de Belisário Pimenta (2012)
« O Bulário da Casa Grande» 2013,
«Campos de Sombra» 2014,
«Campos de Arruda», 2015.

Os dez últimos livros com a chancela das Edições MinervaCoimbra.

sábado, fevereiro 20, 2016

PAULO ILHARCO E SUSANA DUARTE NO CICLO COIMBRA (T)EM POESIA [CASA DA ESCRITA] 25 DE FEVEREIRO DE 2016, 18H15




                                                                                In Diário de Coimbra


Paulo Ilharco nasceu a 26 de Maio de 1961, na freguesia de São Bartolomeu,em Coimbra.
Ainda muito jovem, concluiu o curso superior de Línguas e Literaturas 
Modernas, na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, tendo-lhe sido atribuídas bolsas de estudo pelos governos britânico e espanhol.
Desde então, tem vindo a exercer funções docentes, como professor de Português e Inglês, em diversas escolas do país.
Em 1991, publicou o seu primeiro livro de poesia, intitulado “Sonetos 
Imperfeitos”, com posfácio do Professor António Basílio Rodrigues.
No ano seguinte, em 1992, lançou “Chão Sagrado – Sonetos Mais-Que-Imperfeitos”, com prefácio de Natália Correia.
Em 1995, pôs na forja “Paranóia – Sonetos do Reencontro”, com prefácio do Doutor José Carlos Seabra Pereira, e dois anos mais tarde, em 1997, viu o seu livro “Transgressão – Poemas Ao Ocaso” ser prefaciado pela Doutora Isabel Vaz
Ponce de Leão.
Em 2002, 2004 e 2009, publicou, respectivamente, “E Nu Sente – Sonetos (E)ternos”, com prefácio do crítico e jurista Dr. Manuel Bontempo, “Ideias… E
Dei-as! – Quadras Doídas Sem Acento No i”, com prefácio da poetisa Liz da Silva, e “Asas Versus Aspas – Poema De Força Na Cedilha”, com prefácio da Doutora Clara Murteira, professora na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra.
Em 2015 deu a conhecer a sua vasta obra, “Raios-X À Alma – Eco Do Silêncio”,
um livro com mais de 400 páginas, curiosamente prefaciado pelo próprio, o qual foi apresentado pela Dr.ª Isabel Garcia, das Edições Minerva Coimbra, em tom de “entrevista”, num sarau cultural, cuja sessão decorreu no emblemático Café Santa Cruz, em Coimbra, tendo o autor “casado” Música com Poesia, apresentando-se ao público, não só como poeta, mas também como cantor e compositor.

Susana Duarte nasceu em Coimbra, em 1973.
Psicóloga, estudou na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação na Universidade de Coimbra.
É nesta cidade que exerce a sua profissão, na Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental, como Coordenadora da Área da Infância desde 1996, junto de equipas multidisciplinares altamente envolvidas no apoio a crianças e famílias.
A escrita poética é um prazer cultivado desde os primeiros anos de 
escolaridade; desde 2009, escreve no blogue Terra de Encanto e na sua página pessoal do Facebook, onde tem divulgado o seu sentir poético.

Publicou o seu primeiro livro, "Pescadores de Fosforescências", em Dezembro de  2012, pelas mãos da Alphabetum Edições Literárias, a mesma Editora que se prepara para publicar "Pangeia", o segundo livro da Autora.

terça-feira, dezembro 22, 2015

«A ASSISTÊNCIA MÉDICA EM COIMBRA - 900 ANOS DE HISTÓRIA» DE CRISTIANA NUNES [CHUC] APRESENTAÇÃO EM COIMBRA 18 DE DEZEMBRO, MOSTEIRO DE SANTA CLARA-A-VELHA


Pedro Dias, António Arnaut, Adalberto Campos Fernandes,
José Martins Nunes e Cristiana Nunes

Cristiana Nunes

O auditório do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha foi pequeno para albergar todos os que queriam assistir ao lançamento do livro «A ASSISTÊNCIA MÉDICA EM COIMBRA-900 anos de história» de autoria de Cristiana Nunes [edição do CHUC - Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra]. A sessão foi presidida pelo Senhor Ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, com a participação e intervenção de José Martins Nunes (presidente do Conselho de Administração do CHUC), que abriu a sessão, seguiu-se a apresentação do livro por António Arnaut (advogado e ex-Ministro dos Assuntos Sociais e criador do SNS) e Pedro Dias (professor de história de arte e catedrático da Universidade de Coimbra). A autora agradeceu e teceu algumas considerações sobre o trabalho que foi apresentado e a sessão foi encerrada pelo Ministro da Saúde.

Pedro Dias, António Arnaut, Adalberto Campos Fernandes , 
Cristiana Nunes e José Martins Nunes
(na mesa)

José Martins Nunes

Pedro Dias, Adalberto Campos Fernandes, José Martins Nunes,
Cristiana Nunes e António Arnaut

António Arnaut, Adalberto Campos Fernandes, José Martins Nunes,
Cristiana Nunes e Pedro Dias

                                          Adalberto Campos Fernandes
 Luis Ferreira, Armando Gonçalves, Isabel de Carvalho Garcia, 
António Arnaut 

 José Alberto Garcia, Isabel de Carvalho Garcia, Pedro Dias, 
Cristiana Nunes, António Vilhena e Isabel Maia


Cristiana Abreu Nunes, nasceu em Bamberg, cidade alemã da Baviera, sendo, no entanto, de nacionalidade portuguesa. 
Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra 
desde 1999, concluiu o estágio da Ordem dos Advogados e exerceu advocacia 
durante alguns anos. Em 2011, seguindo a sua vocação, completou o mestrado 
em História da Arte, Património e Turismo Cultural pela Faculdade de Letras 
da Universidade de Coimbra. Escreveu a monografia
"A Capela do Santíssimo Sacramento da Sé Velha de Coimbra"
 e o volume "Coimbra Brasileira – Proposta para um Itinerário". 
Vive atualmente em Coimbra.


«A ASSISTÊNCIA MÉDICA EM COIMBRA -900 anos de história» de autoria de Cristiana Nunes

Uma edição do CHUC com Distribuição MinervaCoimbra.
"O produto da venda desta edição reverte a favor da Liga dos Pequeninos 
– Liga de Amigos do Hospital Pediátrico de Coimbra 
e LAHUC – Liga dos Amigos dos Hospitais da Universidade de Coimbra.