terça-feira, dezembro 15, 2015

EXPOSIÇÃO E VENDAS DE LIVROS COM PREÇOS ESPECIAIS DE NATAL [FLUC-FACULDADE DE LETRAS DA UC] 9 A 17 DE DEZEMBRO





Atrio da FLUC - Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. De 9 a 17 de dezembro, das 10 às 19h. Exposição e venda de livros com preços especiais de Natal.

sexta-feira, dezembro 11, 2015

«A MÚSICA E EU» DE MARIA MANUELA DE MENDONÇA [APRESENTAÇÃO EM COIMBRA] SÁBADO, 12 DE DEZEMBRO, 15H30.





CONVITE

As Edições MinervaCoimbra e a Autora
têm o prazer de convidar para o lançamento do livro

A Música e Eu
de Maria Manuela de Mendonça.

A apresentação será feita pelo Maestro Augusto Mesquita 
e a sessão realiza-se no próximo dia 12 de Dezembro, 
sábado, pelas 15h30, no Atrium Solum (loja 15A), 
Avenida Elisio de Moura nº 85,
em Coimbra.

***

Este livro é o percurso de vida da autora, médica escritora, nos estudos de piano desde a primeira infância, a experiência adquirida
nesta matéria, e a influência da mesma ao longo da sua vida.

O livro
o livro está dividido em

Autobiografia Musical, A Música na Educação, A Música como Tratamento

(Musicoterapia ou Meloterapia), Música Contemporânea (Opinião Pessoal);
Grandes pianistas do século XX:
Sanson François, Wilhelm Kempff, Glenn Gould e Artur Rubinstein, 
Vladimir Horowitz, Claudio Arrau, Sviatoslav Richter,
Krystian Zimerman ,Murray Perahia  Rudolf Serkin,  
Alfred Brendel, Emil Guilels.
Opiniões de grandes músicos

A autora 
Maria Manuela Ribeiro da Fonseca Esteves de Mendonça
É natural de Lisboa.  Licenciatura em Medicina (FMUL), Curso de Ciências Pedagógicas (FLUL), Internato Geral dos Hospitais Civis de Lisboa. Especialista em Psiquiatria e Pedopsiquiatria. 
Competência em Gestão Hospitalar reconhecida pela Ordem dos Médicos.
Carreira distinta e laureada. Prática Clínica, hospitalar e privada. Médico-psicopedagogia. 
Investigação. Docência de Psiquiatria em vários Institutos de Ensino Superior e nas Faculdades de Medicina de Lisboa e Coimbra. Membro Honorário e Membro Fundadorde Sociedades científicas nacionais e internacionais.

 Outros livros da Autora
A Psicofisiologia Humana - Tradução da 9ª edição francesa da Presses Universitaires de France da Obra La Psychophisiologie Humaine de Jean Delay, Livraria Almedina, Coimbra, 1974.
 Mais Vale Prevenir... Memórias de uma Época e de um Contributo para a Saúde Mental Infantil, Coimbra, 2006, MinervaCoimbra.
 Hospital Sobral Cid - das Origens ao Cinquentenário. História. Imagens Memórias. Coimbra, 2006,  MinervaCoimbra.
O Livro não Escrito in "Contos de Médicos Portugueses". Lisboa, Ed. Celom,2007, (Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos).
50 Anos a Exercer Medicina (1957-2007), 2007, Coimbra.
Nascer nos Anos Trinta - Memórias e Imagens de um Quotidiano,2009, Coimbra.
«Memórias de uma adolescente no Liceu D. Filipa de Lencastre 
(dos cadernos de Lisboa - 1943 a 1950)», Coimbra, 2013.

segunda-feira, novembro 30, 2015

«ESTUDOS SOBRE A FILOSOFIA NA EUROPA E EM PORTUGAL: Vol. II - LEONARDO COIMBRA E A FILOSOFIA NA EUROPA DO SEU TEMPO» DE HENRIQUE JALES RIBEIRO [3 DE DEZEMBRO, 18H00] FLUC






Convite

A Diretora do Departamento de Filosofia, Comunicação e Informação 
da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, o Autor 
e as Edições MinervaCoimbra têm o gosto de convidar 
para o lançamento do livro


ESTUDOS SOBRE A FILOSOFIA NA EUROPA E EM PORTUGAL: Vol. II
 - LEONARDO COIMBRA E A FILOSOFIA NA EUROPA DO SEU TEMPO 
da autoria de Henrique Jales Ribeiro. 

A sessão realiza-se no próximo dia 3 de Dezembro, pelas 18h00,
na sala Victor de Matos - 6 º Piso, Faculdade de Letras da 
Universidade de Coimbra.

***

o livro
"Acreditamos que continua a fazer todo o sentido, hoje em dia, falar de maneira geral numa filosofia  na Europa e da Europa nos séculos XX e XXI, pelas mesmas  razões que invocámos e de que falámos  no primeiro volume desta obra a respeito dessa filosofia da segunda metade do século XIX ao século  XX. Mas, se o estudo de uma  tal Filosofia  é possível, o mesmo tem que passar forçosamente, como aconteceu nesse volume (em que provámos que

ela existia), pela reconstrução dos contextos em que ocorreu; pela atenta dilucidação das matrizes históricas e sistemáticas que informam esses  contextos; e  pela  adoção de  uma  metodologia de investigação que não se conforme com os paradigmas da historiografia tradicional ou  monumental (como  a distinção entre Estados-nação  e respetivas culturas, ou  a distinção entre "filósofos maiores" e "filósofos menores") - não pela propaganda ideológica ao serviço de quaisquer ideais político-institucionais. Numa época que não gosta de metanarrativas, que presume terdispensado e evacuado completamente os enquadramentos de tipo universal, e que confia mais na metáfora do que na razão, essa é, sem dúvida, uma tarefa árdua e penosa - mas não impossível. Está aí, ao  nosso dispor, como um desiderato filosófico e intelectual que vale intemporalmente por si mesmo."

In "Prefácio"  do Autor


o autor
Henrique Jales Ribeiro é doutor em Filosofia (1999) e Professor Associado, com agregação, da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, onde é investigador e rege as unidades curriculares de Lógica Simbólica, História da Lógica e Teorias da Argumentação. A generalidade das suas numerosas publicações, em português e inglês, enquadra-se nestas áreas.Cumpre destacar as edições de: Inside Arguments: Logic and the Study of Argumentation (Cambridge Scholars Publishing, 2012); e Aristotle and Argumentation Theory (Argumentation: An International Journal on Reasoning, Springer, 27, 2013).Nâo obstante, um dos seus primeiros trabalhos académicos (tese de mestrado), é precisamente sobre filosofia em Portugal. (Experiência e filosofia em Leonardo Coimbra, 1991). Mais recentemente, na perspetiva da internacionalização dos estudos sobre esta última área, que é o grande leitmotiv do presente livro, publicou três importantes trabalhos: “Sur la réception de la philosophie de Schelling en Europe et au Portugal (de la seconde moitié du XIXe siècle au début du XXe siècle” (2012); “Towards a General Theory on the Existence of Typically National Philosophies: The Portuguese, the Austrian, the Italian, and Other Cases Reviewed” (2012); e “The Eclecticism as Programme: Philosophy and Science in the Second Half of the Ninenteenth Century” (2013) e, fundamentalmente, o volume I da presente obra: Estudos
Sobre a Filosofia na Europa e em Portugal: De Antero de Quental a Leonardo Coimbra [MinervaCoimbra, 2013].

domingo, novembro 22, 2015

PAULO ILHARCO APRESENTA «RAIOS-X Á ALMA - ECO DO SILÊNCIO» [CAFÉ SANTA CRUZ EM COIMBRA] 28 NOVEMBRO, 21H30.




Este livro, com mais de 400 páginas, resume, tão-somente, os mundos que há no mundo do autor e traduz, de uma forma inequívoca, a verve do seu próprio estro. Paulo Ilharco já não publicava sonetos desde 2002 e quadras soltas desde 2004 “Quadras doídas sem acento no i”.



Paulo Ilharco de reconhecimento incontornável na poesia, literatura e cultura portuguesas,  
com obra publicada desde 1991 quando deu à estampa o seu primo livro 

“Sonetos Imperfeitos”(quase há 25 anos), 
seguindo-se  em 1992 “Chão Sagrado - Sonetos-Mais-Que-Imperfeitos”, 
e a partir de 1995 com a chancela da MinervaCoimbra publica
 “Paranóia - Sonetos do Reencontro” em 1997, 
“Transgressão - Poemas ao Ocaso” , 
E Nu Sente - Sonetos (E)ternos, em 2002 , 
“Ideias... E Dei-as! - Quadras doídas sem acento no ' i '” em 2004,  
“Asas Versus Aspas – Poema De Força na cedilha, em 2009.

sábado, novembro 21, 2015

«RAIOS-X À ALMA - ECO DO SILÊNCIO» DE PAULO ILHARCO. APRESENTAÇÃO EM COIMBRA [CAFÉ SANTA CRUZ ] 28 DE NOVEMBRO, 21H30





«Raios-X à Alma - Eco do Silêncio» é oitavo livro de poesia de Paulo Ilharco. Lançamento dia  28 novembro, 21h30. Café Santa Cruz em Coimbra. O Autor e Isabel Garcia estarão em diálogo durante a sessão, ao longo da qual actuarão: 

- quinteto constituído por alunos da Escola Básica e Secundária Quinta das Flores e do Conservatório de Música de Coimbra, 
- Linda Andrade (soprano lírico) e Agostinho Andrade (pianista), 
- Coro Misto da Associação Educativa e Recreativa de Góis, 
- Grupo “Fadvocal” e ainda 
- Coro dos Antigos Orfeonistas da Universidade de Coimbra. 

Paulo Ilharco também interpretará algumas canções, bem como dará a conhecer temas musicais da sua autoria.

Paulo Ilharco, de reconhecimento incontornável na poesia, literatura e cultura portuguesas, é, actualmente, professor de Português e Inglês, na Escola Básica e Secundária Quinta das Flores, em Coimbra.

ARNALDO SILVA APRESENTA A SUA MAIS RECENTE OBRA « CORPO, MENTE E ALMA» [SALÃO NOBRE CÂMARA MUNICIPAL DE MATOSINHOS] 27 DE NOVEMBRO 21H30








“CORPO, MENTE E ALMA – Diálogos” o 17.º livro do autor com prefácio de Frei Bento Domingues.É uma obra é um só poema, dividido em 8 Actos. 3 os protagonistas: Corpo, Mente e Alma, num ininterrupto diálogo abarcando e desvelando, e reflectindo, despojadamente, sobre o mundo e a Vida. Um Ensaio Poético “imperdível”, único e sedutoramente arrebatador.



MENTE

Eu sou a Mente!... 

… ou, se melhor te agrada, a Razão… 

altaneira e expedita a perscrutar e a discernir…

… rainha soberana e empreiteira
da pauta infinda a transbordar
de todos os deves e haveres…

… ferida, quantas vezes, de falência e de exaustão
num tumulto de urgência e demasia…

… dona e senhora das análises e das leis
e dos cálculos
e das contas de contar e de medir…

… e das penas e louvores
e dos pesares
e dos dados da balança…

… e da ciência… e dos poderes
que me levarão imaculada
a julgar e a decidir
sem cuidar da sedição dos detractores 

segunda-feira, novembro 16, 2015

«CORPO, MENTE E ALMA» DE ARNALDO SILVA [SALÃO NOBRE DA CÂMARA MUNICIPAL DE MATOSINHOS] 27 DE NOVEMBRO, 21H30







Convite

O Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Dr. Guilherme Pinto, 
o Autor e as Edições MinervaCoimbra têm a honra de convidar para  a 
a presentação do livro

«CORPO MENTE E ALMA» de Arnaldo Silva


Dia 27 de Novembro, 21h30,  Salão Nobre da Câmara Municipal de Matosinhos. Prefácio de Frei Bento Domingues. 
Apresentação por Dr.ª Luisa Ramos, médica psiquiatra.

Será servido um Porto-de-honra.


***

ARNALDO SILVA nasceu  em 1949, em Cedofeita, na cidade do Porto, e completou o Curso complementar dos liceus, tendo frequentado as Faculdades de direito, em Coimbra, e da de Filosofia, no Porto. Ligado, profundamente, a Matosinhos, também pela prática desportiva, esta é, de facto, e no dizer do poeta, a cidade que o adoptou, e que o próprio abraçou como sua. Entre 1968 e 2001, Arnaldo Silva, entre pragmático sonhador e perfeccionista, desempenhou actividades profissionais diversas: na supervisão organizativa do trabalho; nas técnicas informáticas, ao serviço da PT Comunicações; publicidade e Marketing; na direcção comercial de empresas; na promoção internacional das empresas e dos produtos portugueses, enquanto Técnico Superior do ICEP; na prática e leccionamento desportivo.
Foi cronista/colaborador do Jornal e Notícias, durante sete anos, ao longo dos quais desenvolveu contactos com romancistas, poetas, pintores, músicos, escultores e outros intérpretes do universo artístico.
Regista contributos consideráveis na prefaciacão de obras autorais  de referência, é presença regular na tertúlia reflexiva e de lazer, projectando na voz privilegiada, o diseur de talento maior e o seu carácter de comunicador e poeta.

Obras do autor
Os Primeiros Ais1990; Fogos Ázimos, 1992Ecos Cálidos, 1995; Talvez Amor, 1999;
Para Além do Amar, 1999, As Safiras são Azuis,2001;Na Curva dos Segredos Imperfeitos2005; A Vertigem das Palavras Insuspeitas2007;                                          Atrium, 2008; Túnicas de Nudez, 2010;
No Sabor da Pena… e do Prazer…,2010                                                                                                             
...Na Língua dos Lábios2010; Bailados Vadios, 2011
Antologia Poética (ed. Bilingue, português/francês), 2012
Pátrias de Mim, 2013
Por outros Mares, 2014
Corpo, Mente Alma, 2015

quarta-feira, novembro 04, 2015

AS TRADUÇÕES DE ILSE LOSA NO PERIODO DO ESTADO NOVO DE ANA ISABEL MARQUES [APRESENTAÇÃO EM COIMBRA] 6 DE NOVEMBRO, 17H00



CONVITE

O Coordenador Científico do Centro de Investigação 
em Estudos Germanísticos [CIEG],
 Prof. Doutor Rogério Madeira, 
a Directora da Colecção Minerva/CIEG, 
Prof.ª Doutora Manuela Delille, a Autora,
e a Directora Editorial da MinervaCoimbra, 
Dra Isabel Garcia, têm a honra de convidar V. Exa 
para a sessão de lançamento do livro

«As Traduções de Ilse Losa no Período do Estado Novo 
Mediação Cultural e Projecção Identitária»

de Ana Isabel Marques.

 A apresentação será feita pela Prof.ª 
Doutora Maria Teresa Cortez
e a sessão realiza-se na  próxima sexta-feira, 
dia 6 de Novembro, pelas 17h00, 
no Anfiteatro IV, Faculdade de Letras. 


A autora
Ana Isabel Marques é doutorada em Línguas e Literaturas Modernas, especialidade de Ciências da Tradução, pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. É Mestre em Literatura Alemã e Comparada pela FLUC e autora de «Paisagens da Memória. Identidade e Alteridade na Escrita de Ilse Losa» (2001). Atualmente é Professora-Adjunta do Departamento de Ciências da Linguagem da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Leiria, onde exerce funções docentes desde 1994. 

terça-feira, novembro 03, 2015

MINERVA ALFARRABISTA NA FEIRA DOS ALFARRABISTAS DE COIMBRA [ATRIUM SOLUM] 07 E 08 DE NOVEMBRO











Livraria Minerva Alfarrabista no Atrium Solum. Dias 7 e 8 de novembro entre as 10h00 e as 20h00. 


Organização e apoio: Atrium Solum.

terça-feira, outubro 13, 2015

«AS TRADUÇÕES DE ILSE LOSA NO PERÍODO DO ESTADO NOVO - MEDIAÇÃO CULTURAL E PROJECÇÃO IDENTITÁRIA» DE ANA ISABEL MARQUES [APRESENTAÇÃO DIA 23 DE OUTUBRO, 15H00] FÓRUM MUNICIPAL RODRIGUES SAMPAIO [ESPOSENDE]






CONVITE

O presidente da Câmara Municipal de Esposende, 
Arq. Benjamim Pereira, 
o Coordenador Científico do Centro de Investigação 
em Estudos Germanísticos (CIEG), 
Prof. Doutor Rogério Madeira, 
a Diretora da Colecção Minerva/CIEG, 
Prof. Doutora Manuela Delille 
e a Directora Editorial da MinervaCoimbra, 
Dra Isabel Garcia, têm a honra de convidar V. Exa 
para a sessão de lançamento do livro

As Traduções de Ilse Losa no Período do Estado Novo 
Mediação Cultural e Projecção Identitária 

de Ana Isabel Marques.

A apresentação será feita pelo Presidente 
da Associação Portuguesa 
de Escritores, Professor José Manuel Mendes, 
e realiza-se no dia 23 de Outubro de 2015, pelas 18h00,
no Fórum Municipal Rodrigues Sampaio, em Esposende.

Este livro é o nº 19 da colecção Minerva/CIEG. 


O livro
Muito associada à escrita para os mais novos,Ilse Losa (1913-2006) tem uma obra literária diversificada, que compreende o romance, o conto, a crónica, o ensaio ou mesmo a poesia. Além disso, durante quase um quartel de século (com intermitências) verteu para português obras representativas da literatura alemã e mundial e, em sentido inverso, traduziu para alemão textos de autores portugueses. O acto de traduzir é a expressão mais genuína de mediação cultural. Todavia, a tradução funcionou, para Ilse Losa, também como uma forma de iludir a Censura e de fazer soar, através da voz de um Outro, mensagens proibidas durante o Estado Novo. Foi o que fez com obras de Bertolt Brecht, Max Frisch, Erich Kästner e Anna Seghers. Além disso, serviu-lhe também muitas vezes, para projectar a sua identidade através da apropriação da palavra de alguns escritores de língua alemã. A sua versão da narrativa segheriana «DerAusflug der toten Mädchen» (1944), «O Passeio das Raparigas Mortas» (1954), é disso o melhor exemplo, uma vez que se trata de um texto que aborda questões com particular impacto na obra da escritora-tradutora Ilse Losa, como são as perseguições do período nazi, o exílio ou as guerras mundiais.

A autora
Ana Isabel Marques
É doutorada em Línguas e Literaturas Modernas, especialidade de Ciências da Tradução, pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. É Mestre em Literatura Alemã e Comparada pela FLUC e autora de Paisagens da Memória. Identidade e Alteridade na Escrita de Ilse Losa (2001).
É actualmente Professora-Adjunta do Departamento de Ciências da Linguagem da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Leiria, onde exerce funções docentes desde 1994. Os seus interesses científicos são, fundamentalmente, a tradução e os  estudos interculturais.

ESTUDOS GERMANÍSTICOS
     Coordenação de Maria Manuela Gouveia Delille
Esta colecção inclui uma série de publicações que visa divulgar, junto da comunidade científica e do público em geral, os resultados da investigação do Centro Internuniversitário de Estudos Germanísticos (CIEG), o qual reúne docentes e investigadores das Universidades de Coimbra, Porto, Aveiro, Trás-os-Montes e Alto Douro e Universidade Católica - Pólo de Viseu, e se encontra sediado na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

A recepção dos dramas Mutter Courage und Ihre Kinder e Leben des Galilei
Coordenação de Maria Manuela Gouveia Delille
2. CAMÕES NA ALEMANHA
A figura do poeta em obras de Ludwig Tieck e Günter Eich
Estudos de Catarina Martins e Júlia Garraio
Coordenação de Maria Manuela Gouveia Delille
 3. A MULHER E O ADULTÉRIO NOS ROMANCES O PRIMO BASÍLIO DE EÇA DE QUEIRÓS E EFFI BRIEST DE THEODOR FONTANE
Maria Teresa Martins de Oliveira
 4. OS CONTOS DE GRIMM EM PORTUGAL
A Recepção dos Kinder- und Hausmärchen entre 1837 e 1910
Maria Teresa Cortez
 5. PAISAGENS DA MEMÓRIA
Identidade e alteridade na escrita de Ilse Losa
Ana Isabel Marques
 6. ALCÁCER QUIBIR E D. SEBASTIÃO NA ALEMANHA
Representações historiográficas e literárias (1578- CA. 1800)
Ana Maria Pinhão Ramalheira
Inclui CD-ROM com 49 apêndices documentais
 7. O IMAGINÁRIO DE LISBOA NOS ROMANCES BEKENNTNISS DES HOCHSTAPLERS FELIX KRULL DE THOMAS MANN E SCHWERENÖTER DE HANNS-JOSEF ORTHEIL
Rogério Paulo Madeira
Os romances Bekenntnisse des Hochstaplers Felix Krull (1987), de Hanns-Josef Ortheil, partilham da visibilidade e do papel indeterminante concedidos à capital portuguesa num dado momento da vida dos respectivos heróis-artistas. Após uma introdução à imagem de Lisboa na literatura de expressão alemã do século XX, o presente estudo mostra como nem Félix Krull, por altura do reinado de D. Carlos, nem Johannes, que assiste ao 25 de Abril de 1974 e ao período pós-revolucionário, passam incólumes numa cidade que é mais do que um espaço-cenário.
8. AUTOBIOGRAFIA E MITO NO ROMANCE MEINE SCHWESTER ANTIGONE DE GRETE WEIL
Maria Palmira Roque da Silva
Meine Schwester Antigone (1980) é um romance autobiográfico que, graças a uma sábia técnica de montagem, se desenvolve em torno de três tempos e de três lugares. A sua autora, Grete Weil (1906-99), uma judia alemã sobrevivente do Holocausto, cria uma narradora-protagonista que se recrimina por não ter agido como Antígona, aquela que disse Não e que pagou com a vida a desobediência ao rei.
 9. O MARQUÊS DE POMBAL EM OBRAS DE REINHOLD SCHEIDER E ALFRED DÖBLIN
Dois retratos ficcionais alemães do século XX
Maria de Lurdes das Neves Godinho
 10. UM LUGAR PARA A POESIA
Günter Eich e a construção da imagem do poeta entre 1927 e 1959
Júlia Garraio
Günther Eich (1907-1972) ganhou renome no meio literário alemão depois de 1945 como poeta lírico e autor de peças radiofónicas. A sua carreira literária iniciara-se, porém, duas décadas antes, nos turbulentos últimos anos da República de Weimar. Durante o Nacional-Socialismo o escritor vive das peças de entretenimento que produz para um eficaz meio de propaganda do regime, a rádio. Nesse período marcado por cedências, começa a questionar as possibilidades e os limites da Poesia num mundo dominado por violentas forças políticas, interesses económicos e uma imparável modernização tecnológica.
A obra de Eich, caracterizada pela constante procura de novos caminhos, não só reflecte o empenho do poeta na conquista de um espaço para a Poesia, mas também nos permite acompanhar momentos essenciais do desenvolvimento político-cultural da Alemanha no século XX.
 12. CAMÕES E D. SEBASTIÃO NA OBRA DE REINHOLD SCHNEIDER
Maria Cristina Carrington
Inclui CD-Rom
 13. UMA IDENTIDADE EM (DES)CONSTRUÇÃO. A FIGURA DE JASÃO NO ROMANCE MEDEA. STIMMEN DE CHRISTA WOLF E NO DRAMA MANHATTAN MEDEA DE DEA LOHER
Maria Ângela Moreira Limas
 14. O ESPAÇO NO ROMANCE FASERLAND DE CHRISTIAN KRACHT
João Filipe Medeira Rodrigues
Após a apresentação das características gerais da Popliteraturdos anos 90 no contexto da literatura de expressão alemã, o estudo centra-se na análise dos diversos tipos de espaços configurados num dos textos mais emblemáticos dessa corrente literária – o romnce Faserland (1995) do suíço Christian Kracht, uma road story que nos transporta de Sylt, no extremo norte da Alemanha, até ao Lago de Zurique.
 15. UMA BIOGRAFIA “MODERNA” DOS ANOS 30.MAGELLAN. DER MANN UND SEINE TAT DE STEFAN ZWEIG
Quando, em 1937, publicou a biografia MagellanDer Mann und seine Tat, o escritor austríaco Stefan Zweig estava exilado em Londres, olhando com apreensão o rumo da Europa desde que Hitler chegara ao poder. O tributo ao navegador Fernão de Magalhães, escrito no estilo vivo e plástico que o caracterizava, permitia-lhe exprimir-se de forma indirecta sobre o seu tempo e apontar um caminho de esperança aos seus contemporâneos.
 16. A RECEPÇÃO PORTUGUESA DE DIE LEIDEN DES JUNGEN WERTHERS
(de 1784 até finais do Primeiro Romantismo)
Maria Antónia Gaspar Teixeira
 18. FICÇÃO E HISTÓRIA - A FIGURA DE URIEL DA COSTA NA OBRA DE KARL GUTZKOW
Rogério Paulo Madeira
Primeiro estudo abrangente sobre a figura de Uriel  da Costa (de origem portuguesa) na literatura alemã.
19.As Traduções de Ilse Losa no Período do Estado Novo 
Mediação Cultural e Projecção Identitária 
de Ana Isabel Marques.

Fora de Colecção

MISCELÂNEA DE ESTUDOS EM HOMENAGEM A MARIA MANUELA GOUVEIA DELILLE
Coordenação de Maria Teresa Delgado Mingocho, Maria de Fátima Gil e Maria Esmeralda Castendo.


Obra em dois volumes, com o contributo de 103 autores.