quarta-feira, fevereiro 19, 2020

AQUILINO RIBEIRO NA DITADURA MILITAR E NO ESTADO NOVO DE SALAZAR (1926-1963) [APRESENTAÇÃO EM COIMBRA, 21 DE FEVEREIRO, 18H00] CASA MUNICIPAL DA CULTURA


Convite

As Edições MinervaCoimbra, o Director da Colecção 
Minerva-História e o Autor
têm o prazer de convidar para o lançamento de 

Aquilino Ribeiro na Ditadura Militar 
e no Estado Novo de Salazar (1926-1963) 

de Renato Nunes

A apresentação será feita pelo por Prof. Doutor Luís Reis Torgal e a sessão realiza-se no próximo dia 21 de Fevereiro, sexta-feira, pelas 18h00
na Casa Municipal da Cultura, Rua Pedro Monteiro, Coimbra. 

                                                         ***

Neste livro, que resulta de um projecto amadurecido ao longo de 12 anos, analisa-se o percurso sui generis de um homem que teve como programa de vida (o grande sentido da sua existência) ser escritor profissional, num país pouco povoado, marcado por elevadas taxas de analfabetismo e onde os direitos de autor eram quase uma miragem. Numa época (Ditadura Militar e Estado Novo) marcada pela censura e pela repressão. A representação do autor, desse percurso de Aquilino Ribeiro, pretende afirmar se como mais um contributo para desvendar a vida de um mestre lido, admirado e recomendado, até mesmo por António de Oliveira Salazar, como de resto se comprova pelas palavras que o ditador proferiu ao jornalista francês Frédéric Lefèvre: “Comece o seu inquérito por Aquilino. É um inimigo do regime. Dir-lhe-á mal de mim, mas não me importa: é um grande escritor”.

Renato Nunes nasceu em Lille, França (3/7/1980), mas passou grande parte da sua infância e adolescência em Vila Franca da Beira, no concelho de Oliveira do Hospital. Licenciou-se em História, Ramo de Formação Educacional, pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (2003), especializou-se em Educação Especial, pelo ISCE, em 2011 (domínio Cognitivo e Motor) e concluiu o doutoramento em História, na especialidade “Representações, poderes e práticas culturais”, pela Universidade Aberta (2019).

Em 2007, deu à estampa o livro Miguel Torga e a PIDE. A repressão e os escritores no Estado Novo, integrado na colecção Minerva-História. Publicou também as seguintes obras literárias Construir sentidos (2012) e Pedra após pedra. A palavra (2019), que assinou com o pseudónimo de Fernando Alva.
Entre 2003 e 2012, leccionou a disciplina de História (3.º ciclo e Ensino Secundário), em Portugal continental e na Região Autónoma dos Açores (Terceira, São Jorge e Pico). Actualmente, é professor de Educação Especial e colaborador do Centro de Estudos Interdisciplinares do século XX da Universidade de Coimbra (CEIS/20).

sexta-feira, fevereiro 07, 2020

MUNDANDAR DE ANTÓNIO AUGUSTO MENANO [APRESENTAÇÃO 14 DE FEVEREIRO, 18 H30, BIBLIOTECA MUNICIPAL] FIGUEIRA DA FOZ



Convite


Lançamento do livro "Mundandar" de António Augusto Menano
Apresentação por António Pedro Pita, Professor Catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. 

Biblioteca Municipal Santos Rocha, R. Calouste Gulbenkian 70.

Capa de autoria de Rebeca Lacerda Quinteiro.


Sobre o livro:


“INSTANTES PERENES”
«Mundandar», este mais recente livro de António Augusto Menano, é uma obra que, de certa maneira, estava prometida aos seus leitores.
Desde a publicação, em «Tempo vivo» (1963), de um breve ciclo intitulado “Viagens”, a temática instalou-se no centro deste itinerário poético. Desenvolveu-se, depois, num duplo registo: a viagem que existe em mim, uma viagem que eu sou,o trabalho que o indivíduo precisa de fazer sobre si próprio para se tornar, finalmente, o que é; e uma outra viagem que precisa (ou requer) que essa construção de subjetividade ocorra pela mediação efetiva das diferenças (geográficas, culturais, sociais) que só o direto conhecimento do mundo pode proporcionar.
Com a sua fixação em Macau, onde viveu entre 1988 e 1992, e de onde de certo modo nunca regressou, António Augusto Menano alargou extensamente a sua geografia afetiva. Disso foi dando conta na poesia de
«Poemas do Oriente», 1991, «Poemas de Macau», 2007 e «Poemas da Roxa Aurora», 2009 e, na ficção, em «Inominável Segredo», 1993, «Qual o Começo de Tudo Isto?», 1996 e «A Guardiã», 2000. Sem esquecer “Sinais da Cultura Portuguesa no Oriente”, publicado em 2017, uma longa e informada, fragmentada e apaixonada revisão dos modos de presença da história e da cultura portuguesas no Oriente, revisão pelo recurso a “sinais”, que, para cintilarem expressivamente, necessitam mais do olhar do poeta que da atenção do historiador ou do antropólogo.
«Mundandar» é o atlas poético-afetivo do percurso de António Augusto Menano. Sem dúvida, naquele sentido em que assinala lugares de eleição, percursos, aventuras, cumplicidades em muitas latitudes e longitudes os lugares que os viajantes gostam de dizer que conhecem. Mas, acima de tudo, nesse outro sentido concentrado na epígrafe de Paul Valéry: “Há em nós algo de semelhante ao que nos ultrapassa”.
Nos seus melhores momentos – e há nesta obra poemas particularmente belos, intensos, comoventes –, «Mundandar” é o atlas ou a crónica ou fulguração do que, em certas circunstâncias (que se tornam “instantes perenes”), revela o que em cada um de semelhante ao que o ultrapassa. Essa revelação não seria possível sem a viagem.
Por isso, desde os seus inícios obsessivamente sintonizado com várias modalidades da viagem, isto é: da alteridade, o percurso literário de António Augusto Menano há muito trazia em si, como possibilidade iminente, o livro agora editado.
Poemas de viagens ou de viagem? Certamente. Mas, sobretudo, fragmentos (porque só há fragmentos), iluminações dessa funda experiência existencial que é viver (n)aquilo mesmo que nos ultrapassa.
ANTÓNIO PEDRO PITA





ANTÓNIO AUGUSTO MENANO

Personalidade incontornável da Figueira da Foz, de Portugal e  mesmo além fronteiras, António Augusto Menano,  tem uma vasta intervenção cultural, cívica, social e política. Entre outros,  foi distinguido com a Medalha de Prata Dourada da Cultura da Câmara Municipal da Figueira da Foz (2011) e a Medalha de Mérito da Cruz Vermelha.



António Augusto Menano nasceu em Coimbra em 6 de Maio 1937. Viveu em Macau durante alguns anos, tendo visitado grande parte dos países do Oriente. Reside actualmente na Figueira da Foz, onde passou a maior parte da sua vida. Frequentou a Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra até ao 4º ano, inclusive. Teve várias profissões: agente de seguros, agente transitário, delegadogeral de Publicações Imbondeiro de Angola, leitor e encarregado de
publicidade de Publicações Europa-América, escreveu para a rádio o programa “O Casal Caeiro, conversa acerca de literatura”. Esteve ligado à gestão, nomeadamente hospitalar, à vida política activa (foi vereador da Câmara Municipal da Figueira da Foz, entre 1982 e 1988, ocupando-se de vários pelouros, com destaque para os da cultura, acção-social, acção cooperativa, habitação, cemitérios, transportes e trânsito. Colaborou na generalidade da imprensa cultural portuguesa, revistas e suplementos de cultura e arte, entre os quais, a de A Capital, O Século, Diário de Lisboa, O Primeiro de Janeiro, O Diário, Vida Mundial (crítica de poesia) e Jornal de Notícias onde organizou os
suplementos de homenagem a Ferreira de Castro, e o primeiro, na imprensa portuguesa, dedicado à ficção científica. Escreveu sobre cinema nas revistas: Via Latina, Vértice, Imagem e Celulóide. Dirigiu suplementos literários na imprensa regional cujos primeiros e terceiros encontros co-organizou. Colaborou também na imprensa portuguesa de Macau (Comércio de Macau e Revista de Macau) tem poesia sua traduzida e publicada em mandarim e inglês.
Foram-lhe atribuídos os seguintes prémios: “Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama”, “Prémio Nacional de Poesia Fânzeres”, “Prémio Nacional de Poesia Oliva Guerra”. Menções honrosas nos prémios: “Fernando Pessoa”, “Bocage” e Universitária Editora; Segundo prémio de conto, no concurso “90 anos do Banco Nacional Ultramarino de Macau” em 1992. “Cunca das Artes 2009” da Associação de Amizade e Arte Galego- Portuguesa, de que é sócio honorário.
Dedica-se desde 1985 à pintura tendo exposto em Portugal, Espanha,
França, Estados Unidos e Macau.

quinta-feira, janeiro 23, 2020

CONVITE "AQUILINO RIBEIRO NA DITADURA MILITAR E NO ESTADO NOVO DE SALAZAR" DE RENATO NUNES [LANÇAMENTO NA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE OLIVEIRA DO HOSPITAL [24 DE JANEIRO, 18H00]




Lançamento do livro “Aquilino Ribeiro na Ditadura Militar e no Estado Novo de Salazar (1926‑1963)” 
de autoria de Renato Nunes

No ano em que se assinalam os 135 anos do nascimento de Aquilino Ribeiro (nasceu a 13 de setembro de 1885) o Município do Carregal do Sal e as Edições MinervaCoimbra promovem na próxima sexta feira, dia 24 de janeiro, pelas 18h00, na Biblioteca Municipal de Oliveira do Hospital o lançamento do mais recente livro de autoria do professor Renato Nunes,
Aquilino Ribeiro na Ditadura Militar e no Estado Novo de Salazar (1926-1963)”,
que resulta da tese de doutoramento do autor, defendida em Maio, tendo obtido a classificação de 19 valores.  
A apresentação será feita pelo Professor Doutor Luís Filipe Torgal.
Renato Nunes tem as suas origens associadas ao concelho de Oliveira de Hospital, onde estudou e ao qual continua a estar ligado por laços afectivos e familiares. 


O livro
“Aquilino Ribeiro na Ditadura Militar e no Estado Novo de Salazar (1926‑1963)”, de Renato Nunes, resulta de um projecto 
amadurecido ao longo de 12 anos. O autor analisa o percurso sui generis de um homem que teve como programa de vida
 (o grande sentido da sua existência) ser escritor profissional, num país pouco povoado, marcado por elevadas taxas de 
analfabetismo e onde os direitos de autor eram quase uma miragem. Numa época (Ditadura Militar e Estado Novo) marcada 
pela censura e pela repressão.
A representação, do autor, desse percurso de Aquilino Ribeiro pretende afirmar‑se como mais um contributo para desvendar a vida de um mestre lido, admirado e recomendado, até mesmo por António de Oliveira Salazar, como de resto se comprova pelas palavras que o ditador proferiu ao jornalista francês Frédéric Lefèvre: 
“Comece o seu inquérito por Aquilino. É um inimigo do regime. Dir-lhe-á mal de mim, mas não me importa: é um grande escritor”. 
Este livro é o n.º 30 da colecção Minerva-História, da MinervaCoimbra, dirigida pelo Prof. Doutor Luís Reis Torgal. Na mesma colecção,  Renato Nunes publicou em 2007, "Miguel Torga e a Pide – a repressão e os escritores no Estado Novo".

O Autor
Renato Nunes nasceu em Lille, França (3/7/1980), mas passou grande parte da sua infância e adolescência em Vila Franca da Beira, no concelho de Oliveira do Hospital. Licenciou-se em História, Ramo de Formação Educacional, pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (2003), especializou-se em Educação Especial, pelo ISCE, em 2011 (domínio Cognitivo e Motor) e concluiu o doutoramento em História, na especialidade “Representações, poderes e práticas culturais”, pela Universidade Aberta (2019).
Em 2007, deu à estampa o livro Miguel Torga e a PIDE. A repressão e os escritores no Estado Novo, integrado na colecção Minerva-História. Publicou também as seguintes obras literárias Construir sentidos (2012) e Pedra após pedra. A palavra (2019), que assinou com o pseudónimo de Fernando Alva.
Entre 2003 e 2012, leccionou a disciplina de História (3.º ciclo e Ensino Secundário), em Portugal continental e na Região Autónoma dos Açores (Terceira, São Jorge e Pico). Actualmente, é professor de Educação Especial e colaborador do Centro de Estudos Interdisciplinares do século XX da Universidade de Coimbra (CEIS/20).

terça-feira, maio 28, 2019

"RESGATE DA DIGNIDADE: A DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS E OS 40 ANOS DO SNS" COORDENAÇÃO DE JOSÉ MARTINS NUNES [APRESENTAÇÃO EM COIMBRA, HOTEL QUINTA DAS LÁGRIMAS] 3 DE JUNHO, SEGUNDA FEIRA, 18H00





CONVITE

As Edições MinervaCoimbra, o Coordenador da obra
José Martins Nunes e os seus autores 
Agostinho Branquinho, Ana Paula Martins, 
André Dias Pereira, Cláudia Monge, 
Fernando Araújo, Fernando Leal da Costa, 
João Carvalho das Neves, José Carlos Lopes Martins, 
José Martins Nunes, José Mendes Ribeiro, 
José Pedro Figueiredo, Luís de Almeida Sampaio, 
Óscar Gaspar e Paula Maia Fernandes 

convidam Vª Exª para a apresentação do livro 

Resgate da Dignidade: a Declaração Universal 
dos Direitos Humanos e os 40 anos do SNS”.

Hotel Quinta das Lágrimas
no próximo dia 03 de Junho de 2019, pelas 18h00.

Prefácio do Dr. Álvaro Laborinho Lúcio e a apresentação
será feita pelo Prof. José Pedro Figueiredo, 
Prof. Adalberto Campos Fernandes,
e Prof. Vieira de Andrade.

As receitas do livro revertem a favor da “Associação
Dignitude”, Programa abem.
***

Assinalar quarenta anos do Serviço Nacional de Saúde sob a inspiração do septuagésimo aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos não pode constituir, nem constitui, a glosa de uma mera coincidência.”
“Desde logo, quando, na abordagem da evolução histórica do SNS, sem esquecer os seus antecedentes, se toma a protecção da saúde como Direito Fundamental e se aborda a questão da relação entre Direitos Humanos e Coesão Social, para tudo isso se buscando, também ao longo do tempo, o respaldo jurídico-político oferecido pelo texto Constitucional…”
“…a comemoração dos quarenta anos do Serviço Nacional de Saúde não pode também deixar de nos remeter para a análise crítica do «estado da arte» nos tempos complexos que atravessamos.”
            Álvaro Laborinho Lúcio

terça-feira, maio 14, 2019

"RESGATE DA DIGNIDADE: A DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS E OS 40 ANOS DO SNS" COORDENAÇÃO DE JOSÉ MARTINS NUNES [APRESENTAÇÃO ORDEM DOS MÉDICOS, PORTO] 22 DE MAIO DE 2019, 18H00





CONVITE

As Edições MinervaCoimbra, o Coordenador da obra
José Martins Nunes e os seus autores 
Agostinho Branquinho, Ana Paula Martins, 
André Dias Pereira, Cláudia Monge, 
Fernando Araújo, Fernando Leal da Costa, 
João Carvalho das Neves, José Carlos Lopes Martins, 
José Martins Nunes, José Mendes Ribeiro, 
José Pedro Figueiredo, Luís de Almeida Sampaio, 
Óscar Gaspar e Paula Maia Fernandes 

convidam Vª Exª para a apresentação do livro 

Resgate da Dignidade: a Declaração Universal 
dos Direitos Humanos e os 40 anos do SNS”.

Sede da Ordem do Médicos do Porto, rua Delfim Maia, 
no próximo dia 22 de Maio de 2019, pelas 18h00.

Prefácio do Dr. Álvaro Laborinho Lúcio e a apresentação
será feita pelo Prof. Vital Moreira (FDUC) e pelo
Dr. Miguel Guimarães (Bastonário OM).

As receitas do livro revertem a favor da “Associação
Dignitude”, Programa abem.

***

Assinalar quarenta anos do Serviço Nacional de Saúde sob a inspiração do septuagésimo aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos não pode constituir, nem constitui, a glosa de uma mera coincidência.”
“Desde logo, quando, na abordagem da evolução histórica do SNS, sem esquecer os seus antecedentes, se toma a protecção da saúde como Direito Fundamental e se aborda a questão da relação entre Direitos Humanos e Coesão Social, para tudo isso se buscando, também ao longo do tempo, o respaldo jurídico-político oferecido pelo texto Constitucional…”
“…a comemoração dos quarenta anos do Serviço Nacional de Saúde não pode também deixar de nos remeter para a análise crítica do «estado da arte» nos tempos complexos que atravessamos.”
            Álvaro Laborinho Lúcio

“… A Assembleia-Geral proclama a presente Declaração Universal dos Direitos Humanos como o ideal comum a ser atingido por todos os povos e todas as nações, com o objetivo de que cada indivíduo e cada órgão da sociedade, tendo sempre em mente esta Declaração, se esforce, através do ensino e da educação, por promover o respeito a esses direitos e liberdades, e, pela adoção de medidas progressivas de caráter nacional e internacional, por assegurar o seu reconhecimento e a sua observância universal e efetiva, tanto entre os povos dos próprios estados-membros, quanto entre os povos dos territórios sob sua jurisdição.”
                  Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas

“Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade”
Artigo 1 da Declaração Universal dos Direitos Humanos

A saúde é “...um direito humano fundamental indispensável para o exercício dos outros direitos humanos”.
No texto do Comité pode ler-se ainda que “...o direito à saúde está estritamente relacionado e depende da realização dos outros direitos humanos”.
Comité dos Direitos Socioeconómicos e Culturais das Nações Unidas (2000)



Autores

José Martins Nunes

Secretário de Estado da Saúde no XII Governo Constitucional (1991-1993); Alto-Comissário para a Saúde Global (2018-....); Médico, especialista em Anestesiologia; Presidente do Comité de Fundraising da “Dignitude”. Membro - Personalidade externa - da Assembleia Geral da Faculdade Farmácia da Universidade de Coimbra desde (2014-2019). 
Foi o primeiro Presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (2011-2017) e o primeiro Presidente da Direcção Executiva do Centro Académico e Clínico de Coimbra CHUC/UC (2015-2017); Membro do Conselho Estratégico para o Desenvolvimento Intermunicipal da Região de Coimbra (2014-2017); Membro do Conselho Superior Estratégico do Healthy’n Portugal (2013-2017); Membro Externo do Conselho Geral da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (2013-2017); Vogal não executivo do Conselho de Administração dos SUCH (2013-2017); Membro do Conselho Consultivo da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (2012-2014).

Agostinho Branquinho

Secretário de Estado da Solidariedade e da Segurança Social, no XIX e no XX Governos Constitucionais; Atualmente CEO da Área da Saúde da Santa Casa da Misericórdia do Porto (Conselho de Administração da Saúde e Vice-Presidente do Conselho Executivo do Hospital da Prelada). Integra a Comissão Executiva da Convenção Nacional da Saúde e o painel de peritos da McKinsey Global Institute. Foi administrador de empresas/entidades em áreas tão diversas como a saúde, o apoio social, os media, a comunicação, o marketing e a publicidade, a cultura, a ciência e o desporto. Fui professor em várias instituições de ensino superior, de disciplinas na área da comunicação e do marketing; consultor especializado para entidades como a Associação Empresarial de Portugal, Ministério da Educação, Fundação Eng.º António de Almeida. Foi Deputado à Assembleia da República, UEO, Conselho da Europa, Deputado Municipal e Deputado Metropolitano e membro do staff governamental.

Ana Paula Martins

Bastonária da Ordem dos Farmacêuticos desde 2016. Licenciou-se em Ciências Farmacêuticas na Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa (FFUL) (1990), concluiu o Mestrado em Epidemiologia na FCM-UNL (1995) e o Doutoramento em Farmácia Clínica pela FFUL (2005).
É Professora Auxiliar da FFUL, no Departamento de Sócio-Farmácia, e Investigadora do iMED.UL na área da Farmacoepidemiologia e Farmácia-social. Foi Diretora de External Affairs e Market Access da MSD Portugal (2006-2014) e Diretora do Centro de Estudos de Farmacoepidemiologia da ANF (1994-2006).


André Dias Pereira
Professor da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. Diretor do Centro de Direito Biomédico da Universidade de Coimbra. Presidente da Comissão de Ética da AIBILI. Membro da Comissão de Bioética da Sociedade Portuguesa de Genética Humana. Membro do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida. Tesoureiro da Associação Mundial de Direito Médico (2012-2016). Fellow do European Centre on Tort and Insurance Law. Orcid: 0000-0001-9871-5298.

Cláudia Monge
Professora Auxiliar da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, desde 2016, e docente desta Faculdade desde 1999. Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, em 1998, com Mestrado em Ciências Político-Jurídicas pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, em 2002, com dissertação de mestrado sob o tema Contributo para o estudo do Direito da Saúde: a prestação de cuidados de saúde, e Doutoramento, pela mesma Faculdade, na área de especialização de Ciências Jurídico-Políticas, com dissertação dedicada ao tema O direito fundamental à proteção da saúde e o conteúdo da prestação pública, em fevereiro de 2016. Investigadora do Centro de Investigação de Direito Público da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Advogada desde 2000. Docente em Cursos de Pós-Graduação e oradora em conferências, em especial nas matérias de Direito da Saúde, Contratação Pública e Proteção de Dados, com escritos nestas matérias.


Fernando Araújo
Secretário de Estado Adjunto e da Saúde no XXI Governo Constitucional. Presidente do Conselho de Administração da Administração Regional de Saúde do Norte, I. P; Licenciado e Doutorado em Medicina pela Faculdade de Medicina do Porto. Professor Auxiliar Convidado da Faculdade de Medicina do Porto. Pós-graduação em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa. Médico do Centro Hospitalar e Universitário de S. João.Especialista em Imuno-Hemoterapia, com o Grau de Consultor e a Categoria de Assistente Graduado Sénior. Foi Presidente da Comissão Nacional para o Desenvolvimento da Cirurgia de Ambulatório, Presidente da Comissão Regional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente da Região Norte, Presidente da Comissão Técnica Regional do Diagnóstico Pré-natal da Região Norte, Coordenador da Comissão para o Reordenamento Hospitalar da Área Metropolitana do Porto, Presidente da Comissão Regional de Farmácia e Terapêutica da Região Norte, Presidente da Comissão Oncológica Regional do Norte e Presidente do Grupo de Trabalho responsável pela elaboração da Carta dos Equipamentos de Saúde Primários do Município do Porto. Autor e/ou co-autor de mais de 200 publicações científicas, em revistas e livros nacionais e estrangeiros.

Fernando Leal da Costa
Ministro da Saúde no XX Governo Constitucional. Secretário de Estado Adjunto do Ministro da Saúde no XIX Governo Constitucional. Foi Consultor para os Assuntos da Política da Saúde na Casa Civil do Presidente da República. Médico, especialista, pela Ordem dos Médicos, em Hematologia Clínica e Oncologia Médica. Professor Associado Convidado da Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade Nova de Lisboa. Responsável pela Clínica de Mieloma do Departamento de Hematologia do IPO de Lisboa. Consultor de Hematologia Clínica da Carreira Médica Hospitalar e Assistente Graduado Sénior de Hematologia do Instituto Português de Oncologia de Lisboa Francisco Gentil, EPE.. Membro da Comissão de Avaliação de Medicamentos, do INFARMED. Membro do Conselho Consultivo do GAT - Grupo de Ativistas em Tratamentos. Foi Subdiretor-geral da Saúde, representante de Portugal no Comité Regulador de “Tecidos e Células” da Comissão Europeia e nos Comités Diretores de Saúde Pública (CDSP) e do Acordo Parcial e (CD-P-SP) do Conselho da Europa, presidente da Comissão de Ética e presidiu ao Conselho de Investigação do IPO de Lisboa, responsável pelas Unidades de Cuidados Intensivos Hematológicos (UCHI), de
Transplantação de Medula (UTM) e Diretor do Serviço de Hematologia.

João Carvalho das Neves
Professor catedrático em gestão, ISEG School of Economics and Management, Universidade de Lisboa. Na EDP SA é membro independente não executivo do Conselho Geral de supervisão, Vice-Presidente da Comissão para as matérias financeiras e auditoria e vogal na comissão de remunerações desde 2015. Na Sociedade de Investimentos Montepio-Valor é membro independente não executivo do conselho de Administração desde 2017. Foi Presidente da ACSS Administração Central do Sistema de Saúde I.P. entre 2011 e 2014. Para além de consultor independente em gestão e da Coopers & Lybrand (agora PWC) e professor de finanças teve diversas experiências de liderança em contexto financeiro difícil, nomeadamente CFO do Grupo BPN/SLN integrando a equipa de Miguel Cadilhe (2008-2009) e gestor judicial das empresas Torralta, Casino Hotel de Troia e TVI (1993 a 1998), que conseguiu restruturar, alienar e mantendo-se ainda hoje essas empresas em atividade.

José Carlos Lopes Martins
Secretário de Estado da Saúde no XII Governo (1993-1995); Licenciado em Direito e diplomado em Administração Hospitalar. É Provedor do Cliente Cuf e Consultor da José de Mello Saúde; Vice-Presidente do Conselho Estratégico da Saúde da CIP; Membro do Conselho Geral da Universidade de Coimbra. Integrou os Grupos de Trabalho para a Preparação do Estatuto do Serviço Nacional de Saúde (1992), para o Estudo da Lei de Financiamento da Saúde (1993), para o acompanhamento da Reforma Hospitalar (2015/16). Administrador Delegado dos hospitais públicos: Hospitais de Vila Real e Hospitais da Universidade de Coimbra. Administrador Executivo dos Hospitais Privados: Cuf Descobertas, Cuf Infante Santo, Hospital Amadora Sintra. Foi Administrador não Executivo nos Hospitais PPP,s de Braga e Vila Franca de Xira; Administrador da José de Mello Saúde (1999 a 2016). Chefiou por diversas ocasiões as delegações nacionais a reuniões da OCDE e da OMS Europa. Foi Coordenador de um dos 4 GT do Relatório Gulbenkian - "Um Futuro para a Saúde 2015". Exerceu/exerce actividade docente ocasional nas Universidades de Coimbra, Nova, Católica e ISCTE/INDEG. Foi Presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares e membro da Direcção da Associação de Hospitalização Privada. Fundador e membro da Direcção do Health Cluster Portugal.

José Mendes Ribeiro
Economista (ISEG, Lisboa) tem dedicado a sua carreira profissional ao setor da saúde, tendo sido Administrador do Hospital da Cruz Vermelha (1984/1989), Administrador da CROSS, responsável pela área de Healthcare na Accenture (1995/2001), Administrador Executivo do Grupo Português de Saúde (2004/2007) e Fundador e Administrador da Walk in Clinics Portugal SA. Adjunto do Ministro da Saúde do XV Governo Constitucional e Presidente da Unidade de Missão de Empresarialização dos Hospitais (2002-2004). Integrou o Conselho Diretivo do Instituto Nacional
de Saúde Dr. Ricardo Jorge (2008/2010). Membro do Conselho Científico da Fundação Francisco Manuel dos Santos. Presidiu à Comissão Técnica da Reforma Hospitalar (MS, 2011) e à Iniciativa para a Informação na Saúde (MS, 2014). Integra o Conselho Estratégico do “Centro Académico Clínico de Coimbra”. Autor do livro “Saúde: a liberdade de escolher”, GradivaLisboa, 2009.

José Pedro Figueiredo



Pró-Reitor da Universidade de Coimbra; Doutorado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra; Professor de Ética, Deontologia e Organização Profissional da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra; Médico, especialista em Estomatologia; primeiro Diretor Clínico do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra; Diretor do Serviço de Estomatologia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra.


Luís de Almeida Sampaio
Nasceu no Porto em 1957. Embaixador Representante-Permanente junto da Organização do Tratado do Atlântico Norte desde 2015. Presidente do Conselho Estratégico do Centro Académico e Clínico de Coimbra CHUC/UC desde 2016; Embaixador em Berlim de 2012 a 2015; Embaixador em Belgrado de 2008 a 2012; Coordenador do PPMO (Processo de Paz no Médio Oriente) no âmbito da Presidência Portuguesa da União Europeia de 2007; Embaixador em Argel de 2004 a 2007; Presidente do Instituto de Apoio ao Desenvolvimento, de 2003 a 2004; Ministro-Conselheiro em Angola de 1990 a 2002; Conselheiro Político da SFOR na Bósnia-Herzegovina de 1998 a 1999; Conselheiro Diplomático do Comissário Europeu João de Deus Pinheiro de 1995 a 1997; Diretor Adjunto do Gabinete do Secretário Geral da NATO (Manfred Woerner) de 1990 a 1993.

Óscar Gaspar


Secretário de Estado da Saúde no XVIII Governo Constitucional (2009-2011); Licenciado em Economia pela Faculdade de Economia do Porto, com pós-graduação em Gestão Pública pela Universidade de Aveiro. Assessor Económico do Primeiro-Ministro no XVIII Governo Constitucional (2005 – 2009). É Presidente da Associação Portuguesa de Hospitalização Privada. É membro da Direção da CIP, vice-presidente do Conselho Nacional de Saúde da CIP e membro do Conselho Fiscal do Health Cluster Portugal. É membro dos Conselhos Consultivos do IMHT e da ERS e pertence ao Conselho de Especialidade de Economia Política da Ordem dos Economistas.

Paula Maia Fernandes
Chefe de Gabinete do Ministro da Saúde no XXI Governo Constitu- cional (2015-2018). Desempenhou funções de coordenação e  elaboração dos projetos legislativos e sistematização do corres- pondente planeamento como Adjunta dos Gabinete do Ministro da Saúde do XIX Governo (2011-2015), do Gabinete da Ministra da Saúde do XVII Governo (2008/2009) e do Gabinete do Secretário de Estado do Tesouro do XI e XII Governos Constitucionais (1990/1992); Licenciada pela Faculdade de Direito de Lisboa e Pós-graduada em Direito da Medicina e Direito Europeu pela Faculdade de Direito de Coimbra, Relações Internacionais e Direito Comunitário pelo ISCSP, Direito Comercial e Sociedades Comerciais pela Faculdade de Direito da Universidade Católica, Direito dos Valores Mobiliários e Corporate Governance pela Faculdade de Direito de Lisboa. Especialização na área do Direito da Saúde, no âmbito do tratamento de informação de saúde e proteção de dados pessoais, seguros de saúde e redes convencionadas de prestadores, bem como na área do Direito Económico e das Instituições Financeiras, atividade bancária e mercado de valores mobiliários. Leciona e publica nas áreas da especialidade.