sexta-feira, agosto 27, 2010

SUSANA SALGADO e OS CANDIDATOS PRESIDENCIAIS no DN

Com o título "Tabu jogou a favor de Cavaco Silva há quatro anos"
HUGO FILIPE COELHO assina uma peça no dia 15 Agosto 2010, no DN, dedicada ao estudo agora publicado por Susana Salgado a propósito dos Candidatos Presidencias (2006).
A seguir deixamos o link para o DN e reproduzimos parte do trabalho de HFC.
Ao DN e ao Hugo Filipe Coelho o nosso obrigado.

Passamos a citar:
"Tabu jogou a favor de Cavaco Silva há quatro anos
Cavaco Silva vai recandidatar-se a Belém? Poucos acreditam que possa ser de outra forma, mas a pergunta continua a fazer correr muita tinta. Há dois meses, numa entrevista à RTP, o Presidente confessou que ia pensar e discutir a questão com a família nas férias. Cavaco alimenta a dúvida, e com isso, repete a fórmula que lhe deu a vitória há quatro anos.

Um estudo agora publicado, sobre a cobertura jornalística da campanha para a Presidência de 2006, mostra como Cavaco Silva assegurou grande publicidade mediática com a decisão de manter o tabu da candidatura, enquanto, em pano de fundo, preparava o terreno para avançar.
Em Os Candidatos Presidenciais - Construção de Imagem e Discurso nos Media, a socióloga Susana Salgado revela que a "gestão dessa incerteza com inúmeros comentários, que ora significavam um avanço ora um recuo na decisão, […] contribuíram para aumentar o interesse dos media na sua candidatura e na sua pessoa."
O suspense também jogou a favor de Manuel Alegre. A "traição" de Mário Soares e as hesitações do poeta para correr como independente prenderam a atenção do público e colocaram-no logo atrás de Cavaco no número de directos e abertura dos telejornais.
Circunstâncias que não se repetem desta vez. Na opinião da investigadora, a candidatura de Alegre "tem menos viabilidade e alguma falta de identidade". O apoio do PS e o do BE "deitam por terra todo o discurso de independência em relação aos partidos políticos".
Há quatro anos, defende Susana Salgado no seu livro, os media meteram Alegre na pele do poeta de "espírito livre" que levantava a voz contra as injustiças e rompia com a velha imagem do político, enquanto fizeram de Mário Soares "desestabilizador nacional". Cavaco, por seu lado, construiu uma imagem na imprensa de "especialista" e "homem acima dos partidos", mais de acordo com a representação ideal do Presidente.
Desde a derrota com Jorge Sampaio, dez anos antes, "toda a sua actuação pode ser interpretada como uma tentativa de apagar más memórias deixadas pelos últimos anos da sua governação e pela derrota nas eleições presidenciais de 1996, procurando mostrar uma pessoa diferente mas igualmente preocupada com o rumo do País", diz.
Quando formalizou a sua candidatura, a 20 de Outubro de 2005, no Centro Cultural de Belém, Cavaco apareceu nas notícias como o "candidato vitorioso", que "não se candidatava contra ninguém". Isso reflectiu-se numa cobertura de tom neutro e mais positivo do que alguma vez conseguiu nos anos de primeiro-ministro.
Susana Salgado revela que a ideia do candidato vitorioso começou a formar-se no Expresso e depois, com o impulso dado pelas sondagens, foi seguida pelos outros órgãos de informação. Sem ser taxativa, a investigadora admite que esse facto teve alguma influência nos resultados finais. (....) "

link para o artigo na edição electrónica do DN:

http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1641543


Susana Salgado licenciou-se em Comunicação Social na Universidade Nova de Lisboa e prosseguiu os seus estudos primeiro no INDEG/ISCTE e depois no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa onde concluiu o Mestrado em 2003 e quatro anos depois o Doutoramento.
Actualmente é docente na Universidade Nova de Lisboa e investigadora de pós-doutoramento com uma bolsa da Fundação para a Ciência e Tecnologia. Antes de se dedicar à investigação e à carreira académica trabalhou como jornalista e como consultora de Comunicação em vários projectos.
O seu percurso de investigação tem estado intimamente ligado às áreas da Comunicação Política e dos Estudos Comparativos de Media, Política e Eleições, e os seus interesses de investigação incluem ainda o estudo da influência dos media no desenvolvimento democrático e social, a comunicação estratégica e os novos media, como a Internet.
É igualmente autora do livro Os Veículos da Mensagem Política. Estudo de uma Campanha Eleitoral nos Media, publicado em 2007 pela editora Livros Horizonte com o apoio do Instituto da Comunicação Social, e de vários capítulos de livros e artigos em publicações académicas e jornalísticas em Portugal e no estrangeiro.

1 comentário:

MikOv disse...

Os Candidatos Presidenciais -construção de imagens e discursos nos media

Presidential Race: The media and the building of candidacies

Los Candidatos Presidenciales -la construccion de imagenes y discursos en los medios

Is there a way to contact Susana Salgado? Her work looks like she is taking a look to what is happening in Mexico nowadays after the presidential elections last July 1st, 2012. To know her impressions and what does she think about the postelectoral manifestations.
With the book title only seems like she dedicated to us to the whole nation.
- - -
¿Hay una manera de contactar a Susana Salgado? Su trabajo parece como si ella echara un vistazo a lo que esta sucediendo en Mexico hoy en dia despues de las elecciones presidenciales del pasado 1 de julio de 2012. Para conocer sus impresiones y lo que ella piensa acerca de las manifestaciones postelectorales.
Con solo el titulo del libro pareciera y nos lo dedicó a toda una nacion.